Adoçantes naturais para o chá

É correto adoçar o chá? Essa é uma pergunta que sempre me fazem. Neste post vamos descobrir algumas alternativas naturais ao açúcar e aprender a escolher conscientemente.

É correto Adoçar o Chá?

Na hora de aproveitar uma xícara de chá muitas vezes surge essa pergunta: podemos adoçar o chá? Embora nas catas técnicas no El Club não utilizemos nenhum tipo de aditivo, para assim poder apreciar essa bebida milenar em sua maior expressão (sem nada que modifique seu perfil sensorial), quando vamos tomar o chá por “prazer” a situação é diferente.

Na cata técnica participam todos nossos sentidos, desde o olfato até o gosto. A experiência da cata técnica consiste em analisar diversos aspectos, entre os quais encontram-se atributos de qualidade diretamente relacionados com seu estado de conservação, ou com a presença ou ausência de defeitos. Dessa forma, ao adicionamos açúcar ou outro adoçante ao chá isso não permitiria apreciá-lo corretamente, uma vez que poderia disfarçar muitas de suas características.

Por outro lado, se o objetivo é simplesmente apreciar uma xícara de chá, na comodidade de sua casa ou em um encontro com amigos e sem fins técnicos, esses ingredientes adicionais são sempre permitidos. Como sempre, o importante é aproveitar um bom momento e escolher um chá que mais gostemos e da forma como mais apreciamos. Mas, então, como adoçar o chá? Para isso, existem inúmeras possibilidades que vamos ver em seguida: desde a clássica colherzinha de açúcar até alternativas mais saudáveis e naturais, ou ainda opções mais artificiais.

A alternativa natural ao Açúcar

Geralmente, quando falamos sobre o dulçor de um alimento o relacionamos diretamente ao açúcar, um adoçante de origem natural obtido a partir da cana de açúcar ou da beterraba-sacarina mediante procedimentos industriais. Dessa variedade de adoçante existem diferentes tipos:

  • Açúcar branco: para o processo de refinamento do açúcar branco são utilizadas inúmeras substâncias químicas como o ácido fosfórico. Por esse motivo se discute muito sobre seus possíveis efeitos prejudiciais para a saúde.
  • Açúcar demerara: o açúcar demerara é um açúcar refinado agregado ao melaço. Em alguns casos podem incluir colorantes.
  • Açúcar mascavo: embora sua cor seja similar ao açúcar demerara, é uma opção mais natural (obviamente sempre que consumido moderadamente), uma vez que não contém aditivos. Ao ser um alimento não refinado, conserva seus nutrientes.

No entanto, hoje em dia existem muitos estudos e artigos que recomendam a eliminação deste produto da dieta, ou, ao menos, a substituição do açúcar branco refinado por adoçantes naturais. Entre os vários argumentos para tanto, destaca-se o fato de que o produto refinado aporta somente calorias sem nenhum conteúdo nutricional, ou seja, calorias vazias, ausentes de vitaminas e minerais.

O que são os Adoçantes Naturais?

São chamados de adoçantes naturais os produtos que têm sua origem na natureza e não são químicos produzidos em fábricas ou laboratórios. São obtidos por meio de plantas ou sintetizados por animais, como é o caso das abelhas e do mel. Embora a grande maioria deles possua um alto valor calórico (como é o caso do mel) existem também alguns de baixo valor calórico, como a Stévia, e que incluem diferentes benefícios para a saúde. Na sequência, descubra todos os benefícios dos adoçantes naturais.

Tipos de Adoçantes mais comuns:

Entre os substitutos naturais, esses são os mais populares e, como dissemos, cada um deles conta com diferentes benefícios:

  • O chá com mel de abelha: além de ser delicioso, o chá com mel é perfeito para aliviar os sintomas da dor de garganta. O mel cru ou o mel manuka são os melhores.
  • O chá com stevia:é um dos substitutos naturais mais populares. É extraído de uma planta chamada Stevia rebaudiana, não contém frutose e sempre se recomenda escolher a folha de stevia moída. Para adoçar o chá há que considerar que as estimativas dizem que possui um poder adoçante 100 vezes mais potente do que o açúcar.
  • O chá com rapadura: é elaborado a partir de um suco extraído da cana de açúcar. Ao não passar por processos químicos nem contar com aditivos ou conservantes, é considerado o mais puro de todos os açucares.
  • O chá com xarope de Yacon: é muito escolhido por suas propriedades nutricionais e medicinais.
  • O chá com Maple Syrup (ou xarope de bordo): o xarope de bordo é um doce fabricado a partir da seiva bruta de arvores do gênero Acer: acer açucareira, acer vermelha ou negra, conhecida popularmente no Brasil como bordo.
  • O chá com melaço: também é conhecido como mel de cana; sua cor é mais escura e seu sabor mais intenso que o mel de abelha. É muito nutritivo e rico em cálcio, ferro e potássio, entre outras propriedades.

Em relação aos adoçantes artificiais, os mais conhecidos são a sacarina e o aspartame: seu poder adoçante é maior que o do açúcar, razão pela qual é necessária uma menor quantidade para adoçar uma comida ou bebida.

Ertá na hora de esquecer os Adoçantes Artificiais.

Assim como acontece com o restante dos alimentos, a escolha do que ingerimos em nosso dia a dia dependerá de cada um e, atualmente, existem no mercado todos os tipos de opções.
Embora o valor calórico dos adoçantes artificiais seja muito menor do que o do açúcar e seus substitutos naturais, o que geralmente os torna uma alternativa atraente, isso não os faz mais saudáveis. Basicamente, os adoçantes artificiais não possuem os nutrientes naturais do açúcar e, como seu nome define, são produtos artificiais.
Por isso, a pergunta deve ser: realmente queremos incorporar em nosso organismo produtos ultraprocessados, ou seja, que são totalmente elaborados em um laboratório mediante inúmeros processos industriais? Se a resposta é não, os substitutos naturais do açúcar são uma opção válida.

Por que devemos substituir o açúcar?

De acordo com o que recomenda a Organização Mundial da Saúde, o açúcar não deve corresponder a mais do que 10% do total das calorias diárias, tanto em crianças, como em adultos. Significa dizer que, para uma dieta de 2000 calorias (a ideal para um adulto saudável), essa porcentagem representa cerca de 50 gramas de açúcar, o equivalente a umas 12 colheres de café. Embora considere como tolerável esses 50 gramas ao dia, na verdade, aconselha-se um máximo de 25 gramas, ou seja, a metade dessa quantidade.
Dessa forma, de acordo com a recomendação da OMS, provavelmente a maioria das pessoas deveria fazer um ajuste em sua alimentação. Exatamente nesse ponto é que aparecem os adoçantes naturais, os quais abordamos como uma alternativa frente ao açúcar branco. Mais cuidado! Ainda que esses adoçantes sejam mais saudáveis, não deixam de serem açúcar, e por isso, é sempre necessário moderar seu consumo.

Como substituir o açúcar?

Tanto para o chá como para qualquer outro tipo de preparação doce, a verdade é que o açúcar sempre foi considerado o adoçante por excelência. Se durante anos só possuíamos essa opção como válida, para substituí-la- quer seja por adoçantes naturais ou artificiais- é necessária uma mudança de hábitos. E isso requer tempo. Dessa forma, a chave é começar devagar, pouco a pouco escolhendo conscientemente qual combustível queremos dar a nosso corpo. Uma boa maneira é estabelecer mudanças lentas: um dia, experimente colocar menos quantidade de açúcar; na semana seguinte, tente substituí-lo por mel e assim, sucessivamente até chegar a uma quantidade de adoçante que permita apreciar o chá da melhor maneira possível. E, claro, no mundo do chá, aqueles que sabem prepará-los corretamente, …já devem ter percebido que não é necessário adicionar açúcar, uma vez que sozinho, sem qualquer outro ingrediente, o chá já é delicioso!

#ACULTURADOCHÁ

Gostou deste post? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Sobre mim

Victoria Bisogno

Sou Victoria Bisogno, fundadora do El Club del Té e criadora da Técnica de Análise Sensorial de Chá, a primeira metodologia com fundamento científico focado na análise sensorial do chá.

Siga-me!

Posts recentes

Siga-nos no Facebook