A rota do Chá – Viagem à Ìndia – Darjeeling

Convidamos você a descobrir Darjeeling e seu chá saborosíssimo, conhecido como o champagne do chá.

Viaje a la India

Quando pensamos em chá, muitas vezes vem à nossa cabeça imagens da Índia. A República da Índia, localizada no sul da Ásia, é um dos maiores produtores de chá em nível mundial e um país com uma calorosa cultura. Seus costumes gastronômicos exóticos e seus milenares templos fazem dessa região um imã para os aficionados por chá, viagens e novas descobertas. Logo depois de conhecer a China, o seguinte destino de chá em minha lista foi a Índia.

A Índia é o sétimo país mais extenso do mundo e o segundo mais povoado, e isso se percebe claramente nas ruas. Em todos os lugares em que fui sempre vi pessoas, inclusive nas zonas rurais. Esta característica faz deste país um lugar vibrante, onde as buzinas dos automóveis e dos rickshaws (pequenos transportes de três rodas, também conhecidos como tuk-tuk) se misturem com o som das flautas dos encantadores de serpentes, com os vendedores ambulantes oferecendo suas especiarias e com os chocalhos das dançarinas que movem seus corpos como se fossem cobras encantadas.

Além disso, quatro das religiões mais importantes do mundo se originaram na Índia (o hinduísmo, o budismo, o jainismo e o siquismo) e por isso, ao percorrer as cidades me senti em meio a um desfile de brahmanas, monges budistas, mulheres muçulmanas vestidas completamente de preto, gurus, sacerdotes jainas e sacerdotisas. Os homens laicos se vestem com calça e camisa, mas as mulheres brilham em lindos saris de cores vivas que adornam os corredores e avenidas como flores em um jardim.

As principais zonas produtoras da Índia são:

  • Bengala Ocidental: ao nordeste do país (Darjeeling, Dooars e Terai)
  • Assam: ao nordeste do país (Cachar e Vale do Assam)
  • Sul do país: (Karnataka, Kerala e Tamil Nadu)
Taj Mahal India

No norte da Índia, também existem regiões produtoras menores como Tripura, Uttarakhand, Bihar, Manipur, Sikkim, Arunachal Pradesh, Himachal Pradesh, Nagaland Meghalaya, Mizoram e Orissa, com uma produção inferior às regiões anteriormente mencionadas.

Lembremos que a produção do chá indiano começou em 1834 em Assam, pelas mãos dos ingleses (colonizadores desse território nessa época) e se estendeu a Darjeeling e a Nilgiri Hills nos anos 1850. São produzidos chás pretos CTC e ortodoxo e agora alguns produtores também elaboram chá verde, oolong e branco.

Como as zonas mais famosas de produção de chá são as de Assam e Darjeeling, foi para lá mesmo é que fui. Depois de alguns dias em Kolcata (Calcutá), capital do estado indiano da Bengala Ocidental, voei primeiro a Darjeeling e logo em seguida à zona produtora de chá em Assam. Mas agora quero focar nesse primeiro destino.

Fui recebida pelo gerente da companhia da forma mais tradicional: me presentearam com um lindo xale de seda e me ofereceram seu melhor chá. Um grande deleite com uma poção embriagante para acalmar meu espírito agitado pelo trajeto. Depois de uma conversa amena, percorremos as plantações e programamos as atividades dos seguintes dias que incluíam entrevistas com chefes de produção, colheita de chá manual e elaboração do chá muito cedo (ás quatro da manhã).

Victoria Bisogno Té en Darjeeling

Os dias transcorreram entre caminhadas e comidas tradicionais perfumadas com deliciosas especiarias, colheita manual de chá e visita a diferentes campos. Foram dias memoráveis. Os sorrisos e os cantos das colheitadeiras de chá coletando os brotos ternos da primavera, as flores ao redor das plantações, o simpático trem que nos levava ao povoado…

Mas se existe alguma coisa da qual nunca me esquecerei  foi o café-da-manhã posterior ao dia em que fiz meu primeiro Darjeeling first flush (primeira colheita do ano)  feito à mão por mim mesma! Beber o chá recém elaborado em pleno silêncio, coroado pela vista dos campos de chá com a neblina da manhã…. há alguma coisa mais a se pedir na vida?

#ACulturaDoChá

Gostou deste post? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Sobre mim

Victoria Bisogno

Sou Victoria Bisogno, fundadora do El Club del Té e criadora da Técnica de Análise Sensorial de Chá, a primeira metodologia com fundamento científico focado na análise sensorial do chá.

Siga-me!

Posts recentes

Siga-nos no Facebook

victoria bisogno

Olá! Se você quiser saber mais sobre o chá, convido você a conhecer nossos cursos.