A Cerimônia de Chá Marroquina

A cerimônia de chá marroquina é uma das mais reconhecidas e celebradas no Ocidente, juntamente com a cerimônia chinesa e a japonesa. É um costume, que em algumas localidades da Espanha já faz parte da paisagem e dos passeios obrigatórios dos finais de semana. Nas casas de chá de estilo árabe é possível aproveitar deste ritual sem a necessidade de viajar.

Como se prepara o Chá Marroquino ou Chá Mouro

O chá marroquino ou chá mouro é uma mistura de chá verde chinês (geralmente Gunpowder ou Chun Mee), folhas frescas de menta e muito açúcar. Em árabe chama-se شاي بالنعناع – shay vi l-na’ana, ou simplesmente Shay. Nas ruas é normal encontrarmos burros que carregam menta recém cortada, e o açúcar vem comprimido em cones sólidos de uns 20 ou 30 cm de altura que são quebrados por aqueles que preparam o chá utilizando pequenos martelos para separar a quantidade necessária.

té en Marruecos

O chá marroquino é amargo, uma vez que o preparam com água fervendo e, ás vezes chegam até a ferver as folhas por alguns minutos no fogo, em modo de decocção. Por outro lado, é também uma bebida muito doce, já que para contrapor o amargor gerado na preparação, é adicionada uma grande quantidade de açúcar.

Mas a grande estrela do chá mouro é a menta. Não podemos fazer um bom chá marroquino sem um punhado de menta ou hortelã frescos.

Ingredientes Do Chá Marroquino:

Para fazer um bom chá marroquino você precisará de:

  • Chá verde chinês em folhas a granel (gunpowder ou chun mee)
  • Folhas frescas de menta (cortar em pedaços grandes)
  • Açúcar branco em torrões ou solto
  • Água quente

Utensílios da Cerimônia do Chá Marroquino

O chá no Marrocos é parte de sua cultura. Tomar o chá no país é um costume cotidiano e popular. Todo mundo bebe chá no Marrocos e com um estilo especial, por isso o chamam de o “whisky berbere”. Os berberes são as pessoas que habitam o sul do Marrocos e outros países do Magreb – o norte da África – e formam uma das etnias originárias do lugar. São pessoas do deserto e da montanha. Têm os olhos de uma cor verde luminoso que contrasta com seu tom escuro de pele.

Chá em árabe se chama Shay. Se bebe como sinal de amizade, se oferece como cortesia antes de fazer negócios ou em reuniões sociais. Recusar uma xícara de chá é considerado uma falta de respeito e educação. Quando viajar ao Marrocos, não deixe de aceitar os pequenos copinhos de chá quente que são oferecidos em todos os comércios, pois além de ser um gesto de hospitalidade é uma bebida deliciosa!!

Historia do Chá no Marrocos

Contam que durante os séculos XVII e XVIII o chá começou a surgir no Marrocos pelas mãos de diplomatas europeus que levavam caixas dessa infusão como presente para o rei do país. Mas existe um registro de que o chá foi introduzido de forma comercial pelos ingleses, que por volta da metade do século XIX levaram ao porto de Tanger um carregamento de chá verde chinês cujo destino original eram os países do Mar Baltico, mas que, devido a Guerra da Crimeia, acabou encontrando outro destino. Em seguida os marroquinos tornaram-se fãs dessa bebida.

Como é feita a Cerimônia do Chá Marroquino

A cerimônia do chá marroquino é um ritual que se originou com o decorrer dos anos nesse charmoso país do norte da África. Quando eu viajei para o Marrocos para conhecer essa cerimônia me contaram diversas histórias sobre como esse ritual teve início.

Nas cidades do sul do país, a população berbere aumenta em proporção à etnia proveniente da Arábia Saudita. Os berberes são conhecidos como “o povo do deserto” porque habitam essa parte do Magreb desde milhares de anos, acredita-se.

Suas casas são construções de pedra e barro e muitas vezes estão cavadas na terra, como covas com uma única saída para o exterior. Como vivem no deserto, muitas vezes obtém a água para beber de poços pouco salubres. Por isso começaram a ferver a água para deixá-la mais apta ao consumo. Para dar-lhe um sabor mais agradável, algumas vezes acrescentavam ervas como a menta ou hortelã, outras vezes agregavam especiarias como o cardamomo e a canela e, também, flores de laranjeira. Com a chegada do chá e do açúcar pela mão dos europeus, essa água quente com menta se transformou em chá verde com menta e açúcar.

Cerimônia do Chá no Deserto

Dizem que no deserto, os grupos de caminhantes que dirigiam as caravanas comerciais para Tombuctú, na rota transaariana, e também para outras cidades costeiras e do Levante, descansavam em barracas de tela chamadas jaimas, que permitem proteger do frio (e dos animais) além dos maus espíritos que habitam as dunas.
Nas jaimas os caminhantes sentavam em círculo ao redor do fogo, contavam histórias do deserto e bebiam chá.

Outras formas de preparar o Chá tipo Árabe

Em alguns rincões do Magreb e do Levante, existem variações da preparação do chá e em seu serviço. Em Túnez, por exemplo, além da menta, adicionam alguns pinolis que dão um sabor muito especial. Na Turquia bebe-se chá preto com maçã ou simplesmente infusão de maçã, enquanto no Egito gostam muito da infusão de hibiscos (Karkadé ou Karkaday). Nos povos mais próximos ao Mediterrâneo costuma-se adicionar um pouquinho de água de flor de laranjeira ou água de rosas, conseguindo assim um aroma inebriante…

Se ainda não experimentou, venha ao Club que lhe faremos companhia nessa descoberta!

Gostou deste post? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Sobre mim

Victoria Bisogno

Sou Victoria Bisogno, fundadora do El Club del Té e criadora da Técnica de Análise Sensorial de Chá, a primeira metodologia com fundamento científico focado na análise sensorial do chá.

Siga-me!

Posts recentes

Siga-nos no Facebook