O que é a antiga rota do chá? Montanhas de chá, fábricas e mais.

Sempre ouvimos falar da rota da seda, da rota da porcelana e também da rota do chá. Mas, o que seria a rota do chá? Nesse post, Victoria Bisogno nos conta sua experiencia de viagem à cidade de origem da antiga rota do chá.

Fábrica de té en Yiwu - LA RUTA DEL TE - El Club del Te

Sempre ouvimos falar da rota da seda, da rota da porcelana e também da rota do chá. Mas, o que seria a rota do chá? Nesse post, Victoria Bisogno nos conta sua experiencia de viagem à cidade de origem da antiga rota do chá.
Seria possível escrever um livro inteiro sobre a minha última viagem à antiga rota do chá em Yunnan, China. Em essas poucas linhas vou tentar compartilhar algumas das experiências riquíssimas que tive e que lembrarei por toda minha vida. Quem me acompanha nessa jornada?

O que é a antiga rota do chá?

A antiga rota do chá era um caminho que unia a cidade de Puerh (em Yunnan, China) a diferentes destinos comerciais, nos quais o chá era o principal produto de intercâmbio. Muitos historiadores afirmam que durante a dinastia Tang (618-907 d.C) iniciou-se o transporte de chá desde a província de Yunnan até Beijing e Lhasa (Tibet), dando origem a chamada “antiga rota do chá”. Mas existiram também muitas outras rotas para o comércio de chá, sendo que alguns trechos coincidiam com a rota da seda e da porcelana.

A rota principal iniciava-se em Yunnan (província da China): saía de Puerh, cidade conhecida pelo comércio dos chás negros envelhecidos, dirigindo-se em seguida para o norte, onde passava por Dali, Lijiang, Zhongdian e Deqin. A partir daí adentrava no Tibet atravessando os povoados de Zuogong, Bangda, Changdu, Luolongzong e Gongbujiangda até finalmente chegar à capital, Lhasa. Saindo dessa cidade, retornava em direção ao sul seguindo até Gyantse, Pali e Yadong. Ao final, cruzava o Nepal e posteriormente a Índia. Outra rota iniciava-se em Ya´an, cidade chinesa da província de Si-chuan, continuando através de Luding, Dangding, Batang y Changdu até Lhasa, capital do Tibet aonde se reuniam às caravanas procedentes de Yunann.

Qual chá era comercializado na antiga rota do chá?

O chá que se comercializava através da antiga rota era um tipo de chá fermentado chamado Chá Negro. Desta família de chás, o mais conhecido era o puerh, nome do povoado no qual se concentravam as mercadorias que então seriam enviadas aos diferentes destinos da antiga rota do chá.

Minha experiencia na antiga rota do chá

Como amante do chá, andar por parte dos caminhos percorridos pelos carregadores da antiga rota do chá foi uma das experiencias mais emocionantes da minha vida. Foi uma viagem cheia de cultura, história e novos amigos.

Chegar a Xishuangbanna, município dentro da província de Yunnan que concentra a maior produção de Puerh, por si só, foi uma verdadeira jornada. Partindo de Buenos Aires peguei um vôo direto a Madri onde outra conexão, com escala em Paris, me levou a Shanghai. Ali encontrei minha aluna e amiga, Bing, quem me acompanhou como tradutora pessoal durante todo o caminho. De Shanghai partimos até Yunnan, fazendo escala em Kunning, capital da província, para em seguida voar até o aeroporto mais próximo em Menghai. Enfim, uma longa viagem que me deixou com vários dias de jet lag, mas ao mesmo tempo com uma energia muito especial, por saber o solo por onde estava caminhando.

Museu da antiga rota do chá

Minha primeira visita foi ao museu da antiga rota do chá (também conhecida como a antiga rota do chá e dos cavalos) situado em uma enorme propriedade com muita área ao ar livre. Ali, além das plantações experimentais de chá, existem inúmeros vestígios da antiga rota como pequenas fábricas de chá, materiais e maquinarias utilizados na época para elaborar o chá puerh , e estátuas e monumentos comemorativos, como esse mapa gigantesco da antiga rota do chá. Um obelisco marca a importância do lugar e pequenos arcos indicam a entrada da cidade. Porém, o mais maravilhoso foi poder andar pelas pedras originais que foram parte desse caminho tão antigo.

Montanhas antigas e modernas na antiga rota do chá

7 - LA RUTA DEL TE Montaña Yiwu Puerh

No dia seguinte, junto com meu anfitrião, o Sr. Li, comecei a percorrer as diversas montanhas produtoras de puerh, o mesmo puerh que antigamente era transportado através da antiga rota do chá. A primeira parada foi na montanha de Bulang, onde existe um bosque com arvores de chá de mais de 800 anos de idade e no qual tive a sorte de conhecer o Sr. Liu, um produtor de chás de altíssima qualidade.

Percorremos suas plantações e depois fomos até sua fábrica onde fomos deliciados com uma excepcional cerimônia de chá com ervas recém elaboradas. No outro dia caminhamos pelas montanhas de Yiwu, uma das 6 antigas montanhas de produção de chá puerh e uma das mais famosas, tanto pela qualidade do chá, como por ser o lugar onde se produzia o chá preferido do imperador Qianlong. É um pequeno povoado que parece ter sido congelado no tempo. Ali estão conservadas algumas fábricas de chá que enviavam seus produtos aos destinos da antiga rota. Também visitamos outras montanhas produtoras de chá, onde pudemos ver plantações cultivadas pelos homens e bosques nativos tanto de arvores antigas como jovens de cultivo orgânico, como os da montanha de Mengson.

También visitamos otras montañas productoras de té, a donde pudimos ver plantaciones cultivadas por el hombre así como bosques nativos de árboles jóvenes y antiguos, de cultivo orgánico, como los de la montaña Mengson.

Fábricas de chá da antiga rota do chá em Yunnan.

Em toda província de Yunnan se podem encontrar plantações e fábricas de chá fermentado, mas a maior produção se concentra no município de Xishuangbanna, ao sul da província.

Especialmente em Menghai, encontram-se grandes fábricas de puerh cozido e chá prensado. Na antiga rota do chá, os produtos eram transportados de forma compactada para permitir que fossem levadas grandes quantidades em um espaço bem pequeno. Assim que, nas fabricas são dadas várias formas ao chá: em discos (Bing chá); como azulejos (Zhuānchá), ou ninhos (Túochá), entre diversos outros formatos.

Nos mercados encontramos pirâmides de chás prensados, que chegam a ultrapassar a altura de uma pessoa!

Enfim, poderia continuar escrevendo por bastante tempo. Por ora, deixo esse vídeo abaixo para compartilhar uma “palhinha” da minha experiencia na antiga rota do chá. Espero vocês em nossos próximos cursos de Sommelier de Chá e em nossos Workshops para compartilhar mais histórias e degustações de chás prensados.

#Aculturadocha

Gostou deste post? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Sobre mim

Victoria Bisogno

Sou Victoria Bisogno, fundadora do El Club del Té e criadora da Técnica de Análise Sensorial de Chá, a primeira metodologia com fundamento científico focado na análise sensorial do chá.

Siga-me!

Posts recentes

Siga-nos no Facebook

victoria bisogno

Olá! Se você quiser saber mais sobre o chá, convido você a conhecer nossos cursos.