Chanoyu, a cerimônia do chá japonesa

A cerimônia do chá japonesa é uma tradição milenar nipônica que segue os princípios do zen budismo e é regida por um rigoroso protocolo. O matcha é o chá protagonista. Sem dúvida, uma cerimônia digna de admirar!

Em que consiste a Cerimônia do Chá?

A cerimônia do chá japonesa, conhecida como Chanoyu, não é somente uma forma particular de servir chá como também um culto à arte. Mas, comecemos pelo princípio, você saberia o que significa Chanoyu? … Literalmente, Chanoyu quer dizer “água quente para o chá”. Já Chadô (ás vezes escrito como Sadô) é a filosofia na qual se insere a aprendizagem da cerimônia e significa “o caminho do chá”.

Em termos concretos, a cerimônia japonesa do chá consiste em servir o chá verde matcha de uma forma protocolar, buscando conseguir a maior economia possível de movimentos. É influenciada pelo Zen Budismo e é a mais estruturada de todas as cerimônias orientais, já que é regida por um protocolo bem rigoroso.

Também podemos definir essa cerimônia como o costume social mais tranquilo praticado pelas classes altas japonesas desde o século XII d.C. Seu objetivo é a criação de uma atmosfera especial, na qual os participantes saboreiam o chá e admiram pinturas da natureza e outras obras de arte. Além disso, é um convite a esquecer todos os objetos materiais e mundanos para purificar a alma e assim alcançar um estado de harmonia espiritual com o universo. É um ritual de reflexão e autoconhecimento.

Voltando ao chá em ervas, em minha viagem ao Japão, tive a oportunidade não somente de conversar com as pessoas envolvidas no processo, mas também de participar da primeira colheita de chá daquele ano, um privilégio para um amante de chá.

Quem alguma vez participou de uma cerimônia de chá ou viu alguma foto, certamente percebeu que todos os materiais e equipamentos utilizados no Chanoyu têm uma construção, representação ou expressão artística. Os utensílios utilizados para preparar o chá são verdadeiras obras de arte, delicadas e construídas com uma finalidade particular dentro da cerimônia do chá. Vejamos cada um deles:

  • Chawan: é o copo onde se prepara o chá matcha. Trata-se de uma tigela (ou bowl) de tamanho grande de forma a permitir bater o chá em pó matcha em seu interior.
  • Chaire o Natsume: é o recipiente para armazenar o chá.
  • Chasen: é o batedor de bamboo, se utiliza para misturar o chá matcha com a água.
  • Chashaku: é a colher de bamboo com a qual se mede a quantidade correta e se retira o chá matcha.
  • Hishaku:é a grande concha de bamboo que se utiliza para pegar a água.
  • Chakin: é o pano branco de linho que se utiliza durante a cerimônia para limpar a tigela de chá.
  • Fukusa: é o pano de seda utilizado durante a cerimônia para limpar o chashaku e o chaire.

É importante destacar que esses utensílios costumam ser valiosos objetos de arte.

Segundo o Zen Budismo, a verdadeira beleza reside na singularidade e simplicidade e essas são umas das premissas da cerimônia de chá japonesa. Alguns chegam a defini-la como portadora de uma “estética de austera simplicidade e refinada pobreza”.

Os princípios do Chanoyu

Chanoyu se baseia em quatro princípios: Wa (harmonia), Kei (respeito), Sei (pureza) e Jaku (tranquilidade). Todos os objetos presentes na cerimônia, assim como as atividades que nela se realizam, buscam seguir esses princípios. Acredita-se que a celebração da cerimônia com plena consciência de esses princípios tem o poder de transformar a consciência humana. Você imaginava que fosse assim tão poderosa?

Como se introduz o Chá Matcha no Japão?

Para entender a cerimônia de chá japonesa é importante conhecer também como e quando se introduziu o chá matcha (chá verde em pó) no Japão. Você pode não acreditar, mas esse chá começou a ser bebido na China durante a dinastia Song (960-1279) mas se popularizou no Japão quando os monges budistas japoneses aprenderam a beber o chá com os chineses. Os japoneses o levaram a seu país e assim desenvolveram a cerimônia de chá japonesa.

Na segunda metade do século XVI, Sen-no Rikyu – conhecida figura histórica da cerimonia japonesa do chá – estabeleceu de modo definitivo a forma geral do Chanoyu, relacionada diretamente com a personalidade japonesa e com o Zen Budismo. Foi ele quem introduziu o conceito de ichi-go ichi-e, em tradução literal, “cada encontro, uma oportunidade”: a crença de que cada encontro deveria ser guardado como um tesouro na memória já que jamais irá se repetir. É nossa frase preferida e com a qual abrimos cada encontro no El Club del Té. É um convite a nos concentrarmos no presente em plena consciência, desfrutando do que ocorre aqui e agora. Garanto a você que quando se vive desta forma, cada momento pode ser mágico.

Onde se realiza o ritual?

O espaço onde se realiza a cerimônia japonesa do chá também é digno de se admirar e desfrutar: o jardim que conduz à casa de chá geralmente conta com fontes de água, naturais ou artificiais, plantas belíssimas e árvores dispostas de forma planejada e estratégica. A casa de chá, sukyia ou chayutsu, é cuidadosamente desenhada para celebrar a cerimônia. Por último, uma espécie de nicho ou tokonoma , que se encontra dentro da casa de chá, é o espaço eleito para se colocar as peças de arte para admiração dos participantes.

Quanto tempo dura a Cerimônia de Chá?

A cerimônia completa pode durar quatro horas ou mais, e é dividida em quatro etapas. Muitas vezes nas apresentações para o público a cerimônia se reduz unicamente à ultima etapa que dura aproximadamente uma hora. Se um dia viajar ao Japão, recomendo que reserve um espaço na sua agenda para participar da cerimônia completa.

Passos da Cerimônia Japonesa do Chá

Kaiseki: uma comida leve

Na primeira etapa da cerimônia é servido uma comida leve, na qual ainda não se bebe o chá. A cerimônia se desenvolve com todos os participantes dentro da casa de chá ajoelhados sobre o tatame que cobre o chão.

Enquanto os convidados estão reunidos na sala de espera, o mestre de cerimônias surge e os conduz pelo caminho do jardim até o salão principal. Ao lado desse caminho há um recipiente de pedra ou uma fonte com água fresca, na qual se lavam as mãos e a boca. Os convidados entram ajoelhados na sukyia ou casa de chá. Cada um se ajoelha diante do nicho ou tokonoma e faz uma reverência respeitosa. Admira-se a obra de arte apresentada, como uma pintura colocada na parede ou um arranjo floral. Serve-se o kaiseki, que termina com alguns doces como uma espécie de sobremesa.

Naka-dachi: pausa intermediária

Quando o mestre de cerimônias indicar, os convidados se dirigem a um banco colocado no jardim ao redor da casa de chá. Antes de regressar à sukiya devem lavar as mãos e a boca novamente.

Goza-iri: a fase principal na qual se serve o chá espesso

O anfitrião faz soar um gongo de metal 5 ou sete vezes. Os convidados regressam então à casa de chá. A gravura ou pintura não está mais na parede e em seu lugar se vê um recipiente com flores ou algum outro objeto de apreciação, como uma caligrafia.
Os recipientes de cerâmica para a água e o chá estão colocados em seus lugares. Os convidados admiram o objeto de apreciação e o bule de chá.
O mestre de cerimônias prepara o Koicha: o chá matcha espesso. O convidado principal se levanta da posição de joelhos para pegar a tigela, coloca-a na palma da mão esquerda, ao mesmo tempo que a segura por um dos lados com a mão direita. Toma um gole, aprecia seu sabor e toma outros dois ou mais goles. Limpa a parte da borda da tigela na qual tocou os lábios. Passa a tigela ao convidado seguinte que repete as operações do convidado principal. Finalmente o convidado principal entrega a tigela ao mestre.

Usucha: fase final, na qual se serve o chá fino.

Se prepara o chá individual para cada convidado com duas colheres de matcha. Cada convidado deve beber sua tigela inteira. Depois que cada convidado bebeu seu chá, devolve seu copo ao mestre, que o limpa com água e depois com um chakin (guardanapo de linho).
Uma vez que o mestre de cerimônias retira os utensílios da sala, faz uma reverência em silêncio perante os convidados a partir da qual indica que a cerimônia terminou. Os convidados então retiram-se da sukiya.

Como posso aprender mais sobre a Cerimônia Japonesa do Chá?

Na academia do El Club del Té contamos com diferentes atividades que permitirão adentrar no mundo do chá japonês e de sua cerimônia. Nossas atividades possuem um distintivo nível de profundidade e são desenvolvidas para os amantes do chá e para profissionais da indústria. Começando pelos workshops, que são encontros de meio período nos quais dedicamos algumas horas para descobrir chás diferentes e nas quais poderá conhecer diferentes graus, qualidades e formas de preparação do chá matcha. Também convidamos a descobrir outros chás do país do Sol Nascente em nosso Workshop de Chá Japonês. Em seguida, no curso de Sommèlier de Chá do EL Club del Té conhecerá os fundamentos filosóficos e culturais desta cerimônia, assim como aprenderá a bater corretamente o chá verde matcha. Se deseja especializar-se nas cerimônias de chá e dominar sua arte, oferecemos a possibilidade de formar-se como Tea Master, alcançando o máximo nível de capacitação no mundo do chá.

Gostou deste post? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Sobre mim

Victoria Bisogno

Sou Victoria Bisogno, fundadora do El Club del Té e criadora da Técnica de Análise Sensorial de Chá, a primeira metodologia com fundamento científico focado na análise sensorial do chá.

Siga-me!

Posts recentes

Siga-nos no Facebook