A rota do Chá: Viagem a Ìndia – Assam

Venha conhecer Assam, a província da Índia que é a meca do chá e das especiarias.

Assam é a grande referência do chá na Índia. Em 1823, quando este país era colônia britânica, o intendente Robert Bruce, responsável pela guarnição de Assam, bebeu uma infusão que haviam preparado para ele com algumas folhas de um arbusto local. Robert provou a bebida e encontrou algo tão parecido com o chá que se bebia na Inglaterra (até aquele momento proveniente da China) que então enviou algumas folhas desse arbusto para serem estudadas em Calcutá. Ali descobriram que se tratava de uma variedade local da planta de chá: Camellia sinensis assamica.

Hoja de té

Foi assim que a Companhia Britânica das Índias Orientais estabeleceu plantações em Assam, trouxe produtores de chá chineses para lhes ensinar como cultivar e elaborar tanto o chá preto como o verde e, juntos descobriram que podiam fazer um chá preto tão bom quanto o que se trazia da China, segundo os comerciantes ingleses.

A partir desse momento se desenvolveu a indústria de chá na Índia, pelas mãos dos ingleses, e a Camellia sinensis assamica passou a ser utilizada para elaborar chá em outras regiões produtoras do mundo. O primeiro carregamento de chá preto produzido na Índia e comercializado na Europa foi elaborado em Assam pelos ingleses.

Foi embarcado até Inglaterra em 1838 e vendido no leilão de chá de Londres em janeiro de 1839. Por toda essa história, eu não podia deixar de conhecer Assam. Uma vez que cheguei ao aeroporto de Assam no avião “Cardamom” da companhia “Spicejet” (avião de especiarias), um simpático motorista da empresa me recepcionou e me conduziu até a fábrica de chás.

Esse caminho foi muito mais tranquilo que o de Darjeeling, dada a serena geografia do terreno. Na rota, atravessada por vacas sagradas, macacos e elefantes, começaram a aparecer árvores de bananas e arbustos cheios de flores. Isso porque Assam se localiza no Vale do Rio Brahmaputra onde se encontram microclimas que variam entre o tropical úmido ao subtropical de floresta. A palavra Assam deriva do vocábulo sânscrito “Asom” que significa “sem igual” ou “sem paralelo”, nome dado pela beleza deste estado da Índia do Norte.

cardamomo té

Depois de visitar as montanhas cultivadas com chá em Darjeeling, os campos de Assam pareciam um mar verde, plano, com um horizonte distante. As plantações se estendiam por enormes superfícies cultivadas com a Camellia sinensis assamica, variedade de folhas grandes de uma cor verde luminosa, sob a sombra protetora das árvores.

O aroma refrescante das folhas verdes, característico dos campos de chá, me deleitava os sentidos enquanto imaginava o delicioso licor que produziriam essa folhas, quando fossem processadas. De longe, as colheitadeiras, cantando canções tradicionais, muito timidamente se aproximavam para ver os estrangeiros que visitavam os campos de chá.

Assam produz em grande parte chá preto elaborado pelo método CTC destinado aos saquinhos de chá, e também produz chá em folhas soltas com o método tradicional. O chá de Assam é muito conhecido em todo mundo porque é a base da mistura Masala Chai, um dos blends de chá mais famosos do mundo.

Idian Chai en Assam

Trata-se de uma mistura de chá preto com especiarias. Cada tea blender tem sua receita própria, mas a maioria inclui cardamomo, gengibre, canela e cravo, alguns incluem pimenta negra e anis. Essas especiarias podem ser compradas em todas as cidades da Índia e são de uma fragrância deliciosa. Eu as comprei em Calcutá a caminho do Tea Board of Índia, em um dos grandes mercados de especiarias nos quais se pode compra-las em grandes quantidades por preços muito bons.

Visitar os mercados de especiarias é por si uma aventura de barulhos, gente, cheiros e cores, mas eu contarei mais sobre isso quando falarmos sobre o Marrocos.

taza de té de la india

O Masala chai é preparado infusionando o chá preto de Assam com as especiarias em uma mistura de água com leite. São bebidos na rua, no trabalho, nos mercados em todos os lados. O aroma característico dessa deliciosa mistura pode ser sentido à distância.

É como estar no deserto e ver uma fonte de água. As pessoas passam apressadas e se detém por alguns minutos para recuperar a energia em uma barraca de chá. Nestes bares improvisados são vendidas porções de chá quente em pequenas tigelas de argila secadas ao sol chamadas Kullar. O Kullar é utilizado uma única vez e depois é jogado no chão, para, segundo dizem, voltar a ser parte da terra que lhe deu origem.

Em Assam, além das tradicionais fábricas de chá preto, você pode visitar e participar do processo de elaboração de uma fábrica de chá verde. Estabelecida no ano de 2006, esta fábrica se dedica totalmente à elaboração do chá verde de Assam para satisfazer a demanda de distribuidores alemães.

La Ruta del Té: Viaje a la India - Assam

Deixo aqui para vocês um vídeo (caseiro) que fiz com essa recordação.

Depois da tradicional boas-vindas na primeira fábrica de chá, comecei com visitas às plantações e muitas conversas entre bules de chá. Conheci pessoas encantadoras: chefes de fábrica, analistas sensoriais de chá, representante dos leilões e donos de plantações com muitos anos na indústria de chá, todos movidos pela mesma paixão. Ficou gravado em minha memória o orgulho com que essas pessoas falavam do produto de seu trabalho.

Mas minha recordação mais linda desses encontros foi o jantar no meu primeiro dia em Assam. Os donos da casa nos deram as boas-vindas e nos fizeram provar os doces mais maravilhosos feitos com ervas e especiarias locais. Foi uma oportunidade única para conhecer pessoas encantadoras que amam seu trabalho com o chá e descobrir mais detalhes sobre sua cultura. Passado o jantar, quando todos os membros da família e eu compartilhamos um chá com música, cantos e dança, descobri que entre todos os rituais e costumes da Índia, existe um muito bonito que me embeleza e me fascina: a mágica tradição do chá.

Gostou deste post? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Sobre mim

Victoria Bisogno

Sou Victoria Bisogno, fundadora do El Club del Té e criadora da Técnica de Análise Sensorial de Chá, a primeira metodologia com fundamento científico focado na análise sensorial do chá.

Siga-me!

Posts recentes

Siga-nos no Facebook

victoria bisogno

Olá! Se você quiser saber mais sobre o chá, convido você a conhecer nossos cursos.