A nova forma de beber chá no Japão e no mundo

O que você vai encontrar neste artigo

Descubra as transformações que vêm ocorrendo na indústria de chá no Japão e como a globalização e a expansão da cultura do chá podem ajudar a recuperar costumes milenares.

Manera de tomar té en Japón y en el mundo

As novas tendências

O chá foi introduzido no Japão há mais ou menos 800 anos. No entanto, nos últimos anos o consumo do chá em ervas tem perdido um pouco de seu protagonismo o que, somado ao fato de que muitos fabricantes de chá encontram muita dificuldade para conseguir mão-de-obra para trabalhar no campo, tem gerado um certo risco para a indústria de chá no Japão. Por outro lado, essas mudanças puderam proporcionar novas oportunidades de abrir a indústria de chá japonês ao mundo.

Ainda que o chá japonês seja conhecido em todo o Ocidente, ainda há muito por descobrir em relação à essa infusão, seus benefícios para a saúde e sua relação com a cultura.

Por um lado, vemos que as novas tendências na gastronomia, que incorporaram o café e as bebidas alcóolicas em detrimento do consumo do chá tradicional em ervas, estão transformando a forma com que os fabricantes de chá japoneses estão se posicionando em relação ao futuro.

O Dr. Ralph Faerber, assessor internacional de Maikotea, vê essa tendência como uma oportunidade: “ o consumo de chá no Japão está diminuindo, ou ao menos está se deslocando para produtos de preparo rápido, como o chá de saquinhos, chá engarrafado ou em pó instantâneo. Portanto, todas as empresas que não focarem no mercado internacional irão, eventualmente, entrar em colapso. As que começarem a comercializar com o exterior vão florescer muito mais, de uma forma incrível.

De acordo com as estatísticas apresentadas pelo Ministério da Agricultura e o Ministério das Finanças do Japão, o consumo doméstico de chá tem baixado cerca de 28% nos últimos 10 anos: de 116,823 toneladas em 2004 para 84,164 toneladas em 2014. O consumo per capita de chá verde, em volume, baixou em 27,6%: de 915gr em 2004 para 662gr 10 anos depois.

Por outro lado, uma preocupação que enfrentam os produtores de chá, que ocorre também em outras regiões do mundo, é a falta de interesse dos jovens pela agricultura. Muitas pessoas, ao chegar aos 20 anos de idade, abandonam os campos de chá em busca de uma carreira nas grandes cidades. John Y Okazaki, diretor de vendas internacionais de Dobashien Co. Ltd., observa que “a redução no consumo e o envelhecimento dos produtores de chá forçaram o fechamento de várias plantações e tem gerado uma mudança em muitos campos, que passaram a destinar-se a produção de frutas e outros produtos”.

Tomar el té en Japón

Desde o ano de 2002, as áreas dedicadas à plantação do chá verde têm decrescido cerca de 7,6%. As estatísticas mostram uma queda de 17,1% na produção de chá, entre 2004 e 2014.

Mas então, como os produtores gerenciam essa tendência de consumo dentro do mercado local? Dobashien aposta nos chás saborizados, destinado às gerações mais jovens, chá em pó para máquinas automáticas, muito bem aceitos em escritórios, restaurantes e spas, e também na oferta de produtos de alta qualidade para o mercado internacional, como o matcha autêntico, o matcha orgânico e chás de alta qualidade saborizados, que são muito benéficos para a saúde.

Os dois fatores mencionados acima, facilmente entendidos como “problemas” podem direcionar o interesse de produtores e abrir mercados a novos clientes fora do Japão.

Este ano, a World Tea Expo (Exposição Mundial de Chá) que é realizada todos os anos nos Estados Unidos, mostrou claramente essa mudança: comparado com as edições dos anos anteriores, havia muitos mais stands de produtores de chá japoneses e instituições governamentais para a promoção do chá desse país.

Eles sabem que a cultura é uma excelente impulsionadora para promover o chá japonês: difundindo a estética japonesa e seus costumes, a cerimônia do chá Chanoyu, a cerâmica única no mundo, a introdução do chá verde em pó matcha no mundo gastronômico e o sabor da cozinha japonesa sempre harmonizada com deliciosos chás quentes e chás frios, essa bebida local está ganhando cada vez mais adeptos na Europa e no continente americano.

helado de té matcha

“Com o sushi e outras comidas japonesas ficando cada vez mais conhecidos, e com uma promoção cada vez maior das propriedades do chá verde como antienvelhecimento e para a saúde, as exportações vem crescendo nos últimos 10 anos” agrega o sr. Okazaki. As estatísticas mostram um aumento de quatro vezes nas exportações: de 872 toneladas em 2004 para 3516 toneladas em 2014.

A contribuição final de Okazaki recorda o valor espiritual do teísmo, como foi proposto por Kakuzo Okakura no “Livro do chá” em 1906. “ O chá no Japão não é somente uma bebida, mas sim uma parte da cultura e tradição japonesa.”

Gostou deste post? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Sobre mim

Victoria Bisogno

Sou Victoria Bisogno, fundadora do El Club del Té e criadora da Técnica de Análise Sensorial de Chá, a primeira metodologia com fundamento científico focado na análise sensorial do chá.

Siga-me!

Posts recentes

Siga-nos no Facebook