Chá com leite, as melhores combinações

te con leche

Você é um fã de chá com leite? Gostaria de saber sobre o que é essa infusão? Chá com leite é a infusão de Camelia sinensis, com uma adição de leite. Este ingrediente extra fornecido permite que o sabor do chá seja mais suave, mais doce e mais agradável para alguns paladares.

No entanto, com o tempo, a tradição inglesa tomou diversas formas. Você já pensou em todas as opções que têm para preparar esta bebida saborosa? Existem muitas maneiras diferentes. Você se atreve a experimentar algum deles?

Chá preto com leite

Esta talvez seja a versão mais clássica, ou mais conhecida no ocidente, preparação de chá com leite. Já sabemos que os ingleses são grandes fãs de chá e, em particular, são amantes de chá com leite. Muitas pessoas na Inglaterra costumam fazer chá preto com água fervente, obtendo como resultado um chá muito forte e amargo que exige um pouco de leite.

É assim de forma geral, e o chá com leite, em particular, têm diferentes horários do dia para serem consumidos. Os mais famosos do Reino Unido são o “Afternoon tea” e o “Five O’clock tea”.

O Afternoon tea consiste em tomar uma infusão de Camellia sinensis durante a tarde com pequenos lanches doces e salgados. Esse costume se tornou popular graças a Anna, a duquesa de Bedford, que estava com fome nas longas horas entre o almoço e o jantar.

Foi assim que ela pediu que lhe fosse trazido o bule de chá que seria servido após o jantar, com alguma comida, conseguindo tornar esse costume como moda.

Por outro lado, o chá das 5 “Five O’clock tea” é um serviço de chá menos formal, que a rainha Victoria conseguiu popularizar, por isso dizem que durante o seu reinado, às “five o’clock” tudo mundo se juntou para tomar um chá como ela.

Chá Matcha com leite

Provavelmente alguma vez já experimentou chá com leite, no entanto, nos últimos anos, o chá verde Matcha feito com leite, também conhecido como “Matcha latte”, se tornou muito popular.

O chá Matcha é um chá verde em pó que, embora seja tradicionalmente preparado com água, também pode ser misturado com leite. É uma excelente opção para começar o dia, pois fornece antioxidantes, vitaminas e toda a energia necessária para começar o dia.

Esta opção super versátil irá encantá-lo, pois é ideal para beber quente nas manhãs frias de inverno ou sorvete nas tardes quentes de verão. Também pode ser adoçado com açúcar, Stevia, mel ou simplesmente tomado sozinho. Depende do seu gosto!

Chá verde com leite de aveia

Se você não consome produtos lácteos regularmente, mas aprecia o sabor oferecido pela combinação de chá com leite, o leite de aveia é ideal para você.

O chá verde é uma infusão que, devido às suas características sensoriais, geralmente é consumida sem nenhum tipo de adição; no entanto, o chá verde Matcha é um ótimo aliado do leite.

Já lhe ocorreu tomá-lo com leite de aveia? Esta é uma opção extremamente saudável, não apenas pelos antioxidantes que o chá Matcha fornece, mas também pelos muitos benefícios que a aveia acrescenta a esta preparação. Garanto-lhe que não sentirá falta do leite de origem animal!

Chá Chai com leite

Outra opção saborosa para preparar chá com leite é o famoso chá Chai ou Masala Chai. Esta é uma bebida típica indiana, preparada com chá preto e especiarias como canela, cravo, pimenta, cardamomo, colocado em infusão com água e leite. Certamente você já ouviu falar e as diferentes combinações que podem ser feitas para beber. Cada tea blender tem sua própria mistura pessoal, sempre no mesmo estilo.

Essa delícia é consumida popularmente nas ruas do país asiático, em pequenas tigelas de barro chamadas “Kulhar”. Tem a particularidade de ser muito intenso, graças às especiarias que o compõem e ao chá preto que é usado como base da mistura, mas, ao mesmo tempo, é extremamente amigável e agradável ao paladar, devido às características que o leite lhe confere. Suaviza e adiciona uma textura muito mais sedosa. Então, se você é um amante de chá com leite, não pode deixar de provar esta opção deliciosa!

Chá vermelho com leite e chá preto com leite, são a mesma coisa?

Esta é a pergunta que todo amante de chá já se perguntou alguma vez e hoje saberá a resposta.

Existem algumas confusões sobre esse tema. Na maioria dos países ocidentais, chamamos o que é conhecido como “chá vermelho” na China como “chá preto”. Embora tenham nomes diferentes, são do mesmo tipo de chá, ou seja, um chá com nível de oxidação de 100%. No entanto, se viajarmos para o país oriental e pedirmos um “chá preto”, eles não nos darão a infusão clássica que todos conhecemos, mas nos oferecerão um chá fermentado conhecido como Dark Tea.

Então, a resposta para a nossa pergunta é: Sim! Chá vermelho e chá preto com leite são os mesmos: um chá com um nível de oxidação de 100% com adição de leite. A diferença está no nome e como é conhecido em cada parte do mundo. É simplesmente um rótulo usado para identificar o mesmo tipo de chá. No entanto, não devemos confundi-lo com Dark Tea. E se algum dia você viajar para a China e quiser beber a infusão tradicional inglesa, não se esqueça de pedir como chá vermelho!

Descubra os tipos de leites vegetais para fazer seu chá:

Se você não deseja consumir leite de vaca ou ovelha, existem muitos tipos de leite vegetal que podem ajudá-lo a substituir o leite animal: leite de arroz, leite de coco, leite de grão de bico, leite de quinoa, leite de avelã, etc. É por isso que hoje compartilhamos três opções saudáveis ​​e ricas que não farão com que você perca o leite de vaca tradicional.

Chá com leite de soja: Esta preparação pode ser obtida a partir de soja e água, e é uma opção muito amigável para quem não quer ou não pode consumir leite de origem animal. Esta bebida de fácil digestão e fonte de proteínas, vitaminas e aminoácidos essenciais tornarão o seu chá com leite uma opção mais leve e saudável.

Chá com leite de amêndoa: você já se perguntou como obter leite de amêndoa? Esta é uma preparação que é obtida misturando amêndoas moídas com água. Embora seja uma bebida com mais teor de açúcar do que o leite de soja, esse leite vegetal é um excelente fornecedor de potássio, cálcio, vitaminas e minerais, não contém lactose e ajuda a controlar o colesterol ruim. Adicionar leite de amêndoa à sua infusão sem dúvida fará do seu chá de leite uma explosão de sabor!

Chá com leite de aveia: esta última é uma opção saudável que nos ajuda a prevenir o envelhecimento, fortalece ossos e músculos, ajuda a prevenir problemas hormonais como a tireóide, reduz o açúcar no sangue e ajuda a regular o intestino. Podemos obtê-lo da mistura de aveia com água.

Por onde eu começo a preparar meu chá com leite?

A primeira coisa que você deve fazer é escolher o tipo ideal de chá para a ocasião. Você quer uma bebida quente e reconfortante? Será para compartilhar entre amigos? Ou você prefere algo rápido e refrescante para beber no caminho para o trabalho? Depois de ter em mente que tipo de chá preparar, você pode começar!

Como preparar o chá com leite?

Se você deseja preparar o clássico chá de leite ao estilo inglês, não deve ter medo, pois é realmente muito fácil e prático de fazer. A primeira coisa que você deve levar em consideração é ter todos os utensílios necessários: chá preto, leite, água quente entre 75º e 90º C., uma xícara, infusor, termômetro, uma colher medidora para chá e uma colher para mexer.

Passos para fazer um bom chá com leite:

  1. Para preparar o chá com leite, a primeira coisa a fazer é aquecer a água entre 75º e 90º C. Atenção: não use água fervente, que podem queimar as ervas e ficar muito amargo!
  2. Adicione água até a metade da xícara e deixe absorver o calor. Depois descarte a água. Dessa forma, quando colocamos água no chá, ela não irá diminuir de temperatura.
  3. Coloque uma colher de ervas de chá preto dentro do infusor e coloque-o na xícara. Adicione a água quente sobre as ervas, prestando atenção especial para molhar todas as folhas.
  4. Deixe repousar 3-4 minutos e remova as folhas.
  5. Por fim, adicione um pouco de leite (a gosto), mexa para misturar bem, e pronto! Se você quiser, pode adoçá-lo ou apenas tomar assim. Você só precisa adicionar a quantidade certa de leite, para dar a cremosidade necessária ao chá, sem invadir demais.

Espero que esta informação seja interessante para você. Se você tiver dúvidas ou ideias para compartilhar, aguardamos seus comentários em nossas redes sociais em @elclubdelte

A origem do nome do chá

El origen del Nombre del Té

O chá tem adotado nomes diferentes de acordo com os muitos lugares do mundo por onde passa:

  • Na China, é chamado chá (茶)
  • Na Índia, é chamado tschaj ou chai. .) ياش (
  • Na Arábia, shay
  • Na Rússia, é chamado caj ou chay (чай)

Um pouco de história

Lu Yu (733-804), em seu Livro Sagrado do Chá ou Cha Ching, escreveu sobre a origem do caráter chinês do chá, bem como as muitas palavras usadas para nomeá-lo. No primeiro capítulo, Lu Yu escreveu: “Seu símbolo: poderia vir da palavra grama / grama (chá) ou de árvore / madeira (tú) ou da combinação dos dois”.

Na província de Fujian, China, a palavra chá é pronunciada “tay”, que é onde os holandeses o aprenderam e o levaram para a Europa, tornando-se:

  • Tay na Irlanda e Inglaterra.
  • Tee na Alemanha.
  • Thé na França.
  • Té na Espanha.
  • Finalmente, na Inglaterra, a palavra passa por uma transformação de Tay para Tea.

Quando os holandeses comercializavam chá na província chinesa de Fujian, os portugueses trocaram com Macau, uma região de língua cantonês-mandarim perto da ilha de Hong Kong. Ali a voz local para o chá era “cha”, e todos que falavam mandarim ou cantonês usavam essa palavra.

#LaCulturaDelTe

Fonte: “Manual do Sommelier de Chá” de Victoria Bisogno y Jane Pettigrew. Del Nuevo Extremo (2014)

Descubra os segredos do chá e a mindfulness

té y mindfulness

Neste artigo você encontrará:

  • O que é mindfulness
  • Quais são os benefícios da mindfulness
  • A prática da mindfulness ao beber chá
  • Como provar o chá com plena consciência
  • Por fim, deixo para você um exercício de Mindfulness para começar: “Chá como um fio a terra”.

Chá e a mindfulness

A mindfulness é definida como prestar atenção consciente e intencional ao presente com interesse, curiosidade e aceitação. É estar ciente do que fazemos sem julgar, nos apegar ou rejeitar a experiência.

Este conceito de “atenção plena” acredita-se que tenha origem há aproximadamente 2.500 anos nos sutras (discursos e aforismos) do budismo e do hinduísmo, embora também seja influenciado pelo taoísmo, pelo sufismo e pelas filosofias do yoga.

O monge vietnamita Thich Nhat Hanh (nascido em 1926) é creditado, de acordo com especialistas, por ter escrito o primeiro livro traduzido para o inglês sobre mindfulness, chamado “O Milagre da Mindfulness“.

A proposta da mindfilness é fazer tudo com plena consciência, vivendo no presente. Utiliza a introspecção (como é feito na meditação budista) para entender melhor a mente e estabelecer uma conexão entre o corpo e a mente.

Se temos nossas mentes cheias de pensamentos de todos os tipos, sem espaços em branco, sentimos confusão, exaustão, fadiga. A prática da atenção plena nos permite criar espaços para acalmar a mente e ler nossos pensamentos à distância.

Os benefícios do chá e da mindfulness

A mindfulness estimula o conhecimento de nossas próprias emoções, aumenta a sensação de felicidade e gratidão. Combinando o prazer do chá e a mindfulness, acrescentamos os benefícios do chá, dando-nos um momento de introspecção, com um uso consciente da atenção.

Também produz melhorias notáveis ​​na qualidade do sono, no relacionamento com outras pessoas, na clareza mental e na concentração que, afinal, causam um aumento na auto-estima.

Está provado que a prática da atenção plena favorece a neuroplasticidade, ou seja, a geração de novas conexões neurais para a transmissão de informações de maneira mais rápida e eficaz em nosso cérebro.

Todos nós podemos criar neurônios e novas formas de pensar. Ao transformar nossa maneira de pensar, podemos mudar a maneira como agimos e parar de reagir impulsivamente (no piloto automático) para decidir conscientemente.

A mindfulness nos convida a nos conhecer observando nossos pensamentos e processos internos.

Nos momentos em que a tecnologia ganhou muita atenção, a prática mindfulness nos permite “desconectar” do mundo eletrônico e reconectar-se a nós mesmos.

Se vivermos plenamente, com paixão, curiosidade, entusiasmo e humildade para continuar aprendendo, seremos capazes de transformar nossos impulsos em ações conscientes.

Para isso, precisamos nos conhecer internamente, saber quais coisas despertam nossos impulsos, estar atentos às situações que os geram e agir. A atenção plena é uma excelente ferramenta para alcançar essa transformação.

Neurologicamente, esta comprovado que a prática regular de mindfulness ajudar a secretar o hormônio do crescimento (HGH), que mantém os tecidos saudáveis ​​do corpo, ativa o metabolismo, aumenta os níveis de energia e a massa muscular e melhora o humor.

Também aumentam os níveis de ocitocina no sangue (o hormônio da compaixão) que ajuda a reduzir os níveis de cortisol, responsáveis ​​pelo estresse e desconfortos relacionados.

O aumento da ocitocina protege o sistema cardiovascular e ajuda a diminuir os níveis de gordura no sangue.

A prática da mindfulness ao beber chá

Todos nós podemos teorizar, mas como sempre digo em meus cursos, é necessário treinar. Por tudo que você precisa praticar. Para se tornar um especialista em sommeliers, provadores, misturadores de chá ou mestres em chá, é necessário primeiro adquirir o conhecimento, mas é preciso agir e praticar, praticar e praticar.

Como quando vamos à academia … você se lembra dessa metáfora? O treinador indica uma rotina de treinamento, me diz quais exercícios fazer, quantas repetições, etc., mas tenho que colocar no meu corpo. Se eu não pratico, não alcanço meus objetivos.

Com o chá e a mindfulness, acontece o mesmo: depois de aprender as técnicas para tomar chá com plena consciência, devemos começar a praticar. Nenhum atleta de elite permanece nos trilhos se ele deixar o treinamento.

Também não devemos “parar de treinar” para manter nosso corpo e mente em harmonia como uma peça musical. Precisamos ter disciplina e tenacidade para não parar de praticar, sempre com paixão e alegria, porque todos os dias vamos melhorar.

“O importante não é ser melhor que outros, mas ser melhor que ontem”.

Jingoro Kano

Como provar o chá com plena consciência

Para mim, provar o chá é uma forma de meditação ativa. Degustação de chá é uma forma de atenção plena. Quando faço uma degustação, concentro toda a minha atenção no estúdio de chá e esqueço o mundo. A degustação me ajuda a me desconectar do lado de fora, dos problemas e do ruído mental, e me concentrar com total consciência do que sinto através dos sentidos.

A análise sensorial de chá é o processo pelo qual percebemos as propriedades organolépticas de um alimento e as descrevemos. As propriedades organolépticas são as características físicas que o chá possui e que podemos perceber através dos sentidos, como textura, cor ou cheiro.

A análise sensorial de chá é um processo através do qual procuramos identificar o aroma, cor, forma, textura, sabor e outros atributos ou qualidades do chá e expressá-los em palavras.

Quando fazemos um análise sensorial, todos os sentidos (olfato, visão, audição, paladar e tato) são postos a serviço da experiência de degustação.

Para realizar a análise sensorial do chá (o que chamamos de “catar”), precisamos nos concentrar e prestar total atenção aos estímulos que percebemos, a fim de capturá-los e identificá-los (dar nomes). Isso é atenção no chá.

A degustação técnica de chá (que realizamos em nível profissional) possui uma série de etapas nas quais analisamos diferentes atributos do chá, utilizando os 5 sentidos:

  1. Identifique o chá
  2. Examinando folhas secas: análise olfativa, visual e auditiva
  3. Preparar o chá.
  4. Equilibrar o licor
  5. Examinando folhas molhadas: análise olfativa e visual
  6. Examinar o licor: análise olfativa, visual e de sabor

Provar o chá com mindfulness é exatamente isso: trazer consciência total a um objeto de meditação, que pode ser a respiração, uma vela ou, como neste caso: chá.

“Quando você ver, transforme-se em olhos.
Quando você ouve, toda a sua consciência
Deve alcançar seus ouvidos.
Ouvindo uma música ou ouvindo os pássaros,
transformar em ouvidos.
Esqueça todo o resto, como se você fosse apenas ouvidos.
Alcance seus ouvidos com todo o seu ser.
Dessa forma, seus ouvidos se tornarão mais sensíveis.
Quando você está contemplando algo, uma flor
Ou um rosto bonito ou as estrelas, se transformam em olhos.
Esqueça tudo,
como se o resto do seu corpo
teria abandonado a existência
E sua consciência era apenas seus olhos.
Então esses olhos serão capazes de olhar
muito mais profundamente,
e você se tornará capaz
também olhar para o invisível. “
Osho

Para fazer uma degustação técnica completa, podemos investir de 30 minutos a 1 hora ou mais em cada chá. Nesta avaliação sensorial completa do chá, para mim, é muito mais fácil obter abstração dos pensamentos e concentrar-se apenas nas percepções (full mindfulness😉!!!). Mas, para isso, é necessário que o processo de degustação seja bem internalizado.

Se você não conhece bem a metodologia (as etapas e os atributos que devem ser avaliados), entram em jogo os pensamentos e perde um pouco o efeito mindfulness. Precisamos ter a técnica de degustação perfeitamente mecanizada para que o processo flua naturalmente como água que corre em um rio.

Aqui está a folha de avaliação que eu projetei para documentar as descobertas da prova.

Exercício Mindfulness: O chá como um fio terra, por Victoria Bisogno

Se você ainda não conhece a técnica de degustação, ofereço-lhe uma meditação que eu faço em algumas etapas e que tem um efeito curativo. Estas são as etapas básicas para você aprender como fazer uma degustação simples com plena consciência e, assim, levar a mindfulness para sua vida. Vamos praticar amigos !!!

  1. Começo procurando um lugar onde esteja tranquilo. Assegurando que não haja interrupções: aviso minha família ou colegas de trabalho para não me interromperem por 10 minutos. Eu desligo telefones e outros dispositivos eletrônicos.
  2. Procuro uma mesa e a deixo vazia (não uso toalhas de mesa, flores ou decorações).
  3. Coloco todos os utensílios para fazer chá na mesa.
  4. Sento-me à mesa e corrijo minha postura.
  5. Fecho os olhos e foco a respiração, respirando fundo e expirando muito lentamente pelo menos três vezes.
  6. Eu respiro mais uma vez e solto o mais lentamente que posso.
  7. Abro os olhos e começo a fazer chá.
  8. Eu assisto a água cair no meu copo.
  9. Concentro-me na ampulheta e vejo o tempo passar.
  10. Quando o chá está pronto, tomo-o com as duas mãos e fecho os olhos.
  11. Eu me concentro alguns segundos em observar as sensações que o chá gera em minhas mãos.
  12. Trago a xicara até o nariz e cheiro com os olhos fechados. Me concentro no cheiro do chá.
  13. Logo, trago a xícara para a boca, ainda de olhos fechados, e saboreio meu chá, sempre focado nas sensações que ela desperta em mim.
  14. Saio da meditação, respirando fundo e expirando lentamente.

Descubra o chá de Kombucha, o que é e como é preparado

O chamado “chá Kombucha” é realmente chá? Kombucha é um fermento probiótico feito de chá adoçado, cada vez mais consumido por quem busca uma dieta saudável por seus extensos benefícios para o corpo.

Chá Kombucha: O que é isso?

Tecnicamente, o Kombucha não é chá, mas uma infusão ou, melhor dizendo, um fermento feito com chá. Para saber mais sobre seus benefícios e propriedades, consultei especialistas que me apresentaram as características desta bebida, que está encontrando seu lugar em bares orgânicos, dietética e feiras saudáveis.

É um chá probiótico fermentado naturalmente a partir do SCOBY (cultura simbiótica de bactérias e leveduras), que significa cultura simbiótica de bactérias e leveduras. Dizem que surgiu há mais de 4 mil anos na Manchúria, no nordeste da China, e foi venerado por egípcios, maias e incas por suas virtudes. Hoje podemos apreciá-lo em suas versões frias ou em temperatura ambiente.

O kombucha

Segundo especialistas, o “fungo” de aparência gelatinosa que se forma no Kombucha é constituído por uma colônia de microorganismos (bactérias e leveduras), como:

  • Acetobacter xylinum
  • Acetobacter xylinoides
  • Bactéria xilina
  • Gluconobacter oxydans
  • Medusomyces gisevi
  • Pichia fermentans
  • Saccharomyces ludwigii
  • Saccharomyces apiculatus
  • Schizosaccharomyces pombe
  • Zygosaccharomyces bailii

Como fazer kombucha?

O SCOBY deve ser alimentado com chá e açúcar para produzir o fermento. “O melhor é o chá preto, mas também pode ser feito com chá verde, branco, oolong e puehr”, diz Miguel Ángel e explica os passos a seguir: “Uma primeira fermentação de duas semanas ocorre com a colônia inicial e um pouco do líquido original, junto com chá e açúcar; cerca de uma xícara de açúcar para cada cinco litros de líquido. Em seguida, metade da bebida é retirada e completada com a mesma quantidade de chá com açúcar. É engarrafado e aguardado pelo menos duas semanas em temperatura ambiente. “

Larissa Fraida, uma das minhas alunas do Tea Sommelier do Brasil, comercializa Kombucha com sua própria marca, a Dra. Bao Kombucha, e me diz que “o processo de fermentação pode variar de 7 a 30 dias.

Durante esse período, as bactérias se alimentam de açúcar e cafeína no chá, e a bebida se transforma em um chá probiótico naturalmente gaseificado, cheio de benefícios à saúde. Após esse processo, pode-se realizar uma segunda fermentação com infusão de frutas, ervas e especiarias para obter sabores variados ”. É uma ótima opção para substituir bebidas gaseificadas.

Para fazer o chá Kombucha, precisamos primeiro obter o SCOBY que, como Miguel Ángel Castro, produtor de Neptune Kombucha me diz, “é distribuído e é passado de mão em mão, embora também seja obtido em algumas lojas especializadas”.

O kombucha: Preparação

Os especialistas dizem que o chá Kombucha pode ser tomado frio ou à temperatura ambiente. “Você tem que começar tomando pequenas quantidades, aproximadamente 150 ml para ver como o corpo se sente e depois adicionar mais. De manhã, é muito bom, mas pode ser tomado a qualquer hora do dia”, explica Miguel Ángel.

Seu sabor é levemente ácido “, lembra o sabor da cidra ou do fermento de maçã”, diz o produtor de Kombucha. Devido às suas propriedades e método de preparação, o chá Kombucha é muito saudável, a única contraindicação destacada pelos especialistas é que, embora seja adequado para diabéticos, devido à sua quantidade de açúcar, eles devem ter cuidado e saber que quanto mais tempo em fermentação, a quantidade de açúcar que retém é menor.

Kombucha: propriedades e componentes

A marca Bio Kombucha da Espanha garante que grande parte das propriedades saudáveis ​​de Kombucha se devam a seus componentes, que foram cientificamente verificados:

  • Vitaminas B, ácido fólico, C, D, E e K
  • Enzimas como invertase, sacarose, amilase, catalase, etc.
  • Ácidos orgânicos essenciais, como ácido lático, ácido tartárico, ácido cítrico, ácido acético, ácido glucurônico, ácido carbônico, ácido usic, etc.
  • Leveduras e polissacarídeos, além de cafeína quando é feita à base de chá ou erva-mate).

Por sua vez, ele contém “vitaminas A, CK e enzimas digestivas”, acrescenta Larissa, explicando que “um nível ideal de vitaminas mantém o estresse e a ansiedade em bons níveis, alivia a TPM e melhora a memória; as enzimas, por outro lado, são essenciais para decompor os alimentos em moléculas, para que os nutrientes possam ser absorvidos mais facilmente “.

A marca espanhola garante que a presença de certos componentes funcionais “depende do chá ou da infusão usada para fazer o kombucha. Por exemplo, o Rooibos contém ferro, potássio, zinco, manganês, cobre, cálcio, magnésio, fluoreto “.

Benefícios do chá Kombucha

Por ser uma bebida probiótica, Kombucha tem todos os benefícios de infusões que incluem bactérias vivas saudáveis:

  • Contribuir para o bem-estar emocional
  • Aliviar o intestino irritado
  • Ativar as defesas do corpo
  • Regular a flora intestinal
  • Equilibra a acidez no corpo
  • Ajuda a baixar o colesterol

Sua fermentação à base de chá oferece todos os benefícios da planta Camellia Sinensis (ajuda a controlar o colesterol, restabelece a flora intestinal e possui propriedades antioxidantes, entre outros). Mas Miguel Ángel Castro, por sua vez, destaca que o Kombucha possui essas propriedades que beneficiam a saúde em:

O sistema digestivo: regula sua atividade, reduz a constipação, ajuda a curar úlceras estomacais, doenças internas do intestino grosso e delgado.

Circulação sanguínea e coração: ajuda na regeneração das paredes celulares, ajuda a diminuir gradualmente os níveis de colesterol, previne doenças coronárias e arteriais e paradas cardíacas, contribui para a melhoria do suprimento sanguíneo, ajuda a eliminar a ureia, diariamente, estabiliza os níveis de glicose no sangue.

Doenças relacionadas à pele: podem eliminar ou promover uma melhora acentuada da psoríase, melhorar a aparência e o frescor da pele.

Problemas no sistema respiratório: fortalece o sistema imunológico, alivia os casos de bronquite e asma.

Doenças da velhice: contribui para melhorar a mobilidade nas extremidades em casos de artrite, colabora na recuperação muscular, reduz notavelmente o desconforto da menopausa, elimina a exaustão mental, estresse, dores de cabeça, ajuda os rins e a vesícula biliar, limpando-os para o seu melhor funcionamento e ajuda a melhorar a visão.

Com tantas propriedades, teremos que descobrir quem nos dará o SCOBY para começar a consumir esse fermento probiótico, que é popularmente chamado de chá Kombucha por todos.

A rota do chá – Viagem a China

La Ruta del Té: Viaje a China

China é a meca do chá, um país milenar que encanta os sentidos com seus mistérios e seus costumes.

Viajes de té por China

A meca do chá

Quando eu ainda trabalhava como engenheira para uma empresa multinacional, todo mundo me perguntava porque eu gostava tanto de chá. Eu lhes descrevia os rituais que eu conhecia, as paisagens para as quais eu me transportava bebendo uma simples xícara de chá e como essa cerimônia cotidiana de observar as ervas, esquentar a água, medir a temperatura e esperar o tempo adequado, se transformava no meu momento de conexão comigo mesma, muito necessário em meio à loucura do trabalho.

O chá no escritório era minha meditação diária, meu abraço fraterno, meu elixir de conforto. Assim, eu sonhava em viajar ao país que viu nascer essa infusão e finalmente chegou o dia em que fiz minha mala e fui para China.

Depois de minha experiência em Londres eu já tinha certeza de que meu seguinte destino seria China. Para mim era uma simples verdade e uma necessidade interior. E para lá fui…. dando início à minha aventura em busca do chá.

O mais lindo dessa viagem, minha primeira experiência na China, foi ir com poucas expectativas. Pesquisei e programei todo o meu passeio de forma a conhecer não somente as plantações de chá, mas também a cultura das pessoas. Sempre me atraiu a história chinesa, seus costumes e suas lendas. Por isso, visitei as plantações, as cidades, os templos e, claro, os locais turísticos como a Grande Muralha.

De fato, esperava que esse fosse a melhor atração, mas não foi assim. Apesar da Grande Muralha chinesa ser absurdamente linda, assim como os templos, os soldados de terracota e os Budas gigantes, encontrei mais beleza nas pequenas coisas da China: as ruas, os contrastes, os odores, os olhares e os sorrisos das pessoas, as formas de realizar as tarefas mais simples e as paisagens de sonhos parecidas com uma pintura… Descobri que somos diferentes e iguais ao mesmo tempo, comparados com essa cultura tão extraordinária.

China é o país dos campos cultivados e das colinas talhadas com terraços de fulgurantes folhas verdes, tetos ondulados e lagos espelhados. Também é o pais das grandes cidades e dos povos antigos, que parecem tirados de um conto de fadas. Ali o chá se encontra em cada canto, em cada mão, em cada esquina. Nas ruas se vê grupos de homens fumando e bebendo chá.

As máquinas automáticas de bebidas não oferecem refrigerantes, mas oferecem chá. Nos restaurantes, tanto no almoço como no jantar, se bebe chá. Lembro especialmente da experiência de viajar de trem: cada passageiro em seu assento como uma garrafa térmica cheia de ervas, a garçonete oferecendo comida e para beber, água quente para preparar o chá. As lojas de artesanato que fabricam os bules, as lojas de chá e as casas de chá que celebram a cerimônia do chá, cada uma com sua marca única, fazem com que o descobrimento do chá pareça inesgotável.

Claro, além de todo esse bombardeio de imagens e sensações tão estimulantes, descobrir o leque de variedades de chá disponíveis nessas ruazinhas eleva às alturas disposição de qualquer amante da Camellia sinensis, superando todas suas expectativas. Ruazinhas nas quais em cada loja, uma ao lado da outra, te oferecem o melhor chá…. provocam um êxtase de adrenalina desenfreado.

Não seria a China a Disney para os tealovers? China é uma país territorialmente muito grande, com muitos costumes em torno do chá, que variam muito de acordo com as diferentes regiões. Assim, viajando por várias partes do país é possível empanturrar-se de experiências das pessoas ligadas ao chá, de todo esse amor pelo chá que é herdado, adquirido e cultivado.

Que lindo seria o mundo se tudo que fazemos, por mais simples ou insignificante que possa parecer, fosse feito com o carinho e o empenho que colocam os fabricantes de chá no fruto de suas mãos.

#ACulturaDoChá

A rota do chá: Viagem ao Japão

Victoria Bisogno en campos de té en Japón

O Japão é outro destino imperdível na rota do chá. Um país que sofreu incontáveis desastres naturais e guerras, mas que se reergueu perante o mundo com vigor e elegância majestosos.

A cultura japonesa é impactante e cativante por diferentes motivos: por exemplo, ao percorrer cidades muito povoadas como Tóquio, a capital do Japão, que supera os 35 milhões de habitantes em sua região metropolitana, o silêncio nas ruas é surpreendente. Ninguém levanta a voz, ninguém corre, não se escuta nem uma buzina. Inclusive, até poderia parecer que existem poucas pessoas andando pelas calçadas. No metrô, o silêncio também nos causa espanto.

Manos té

Tal é a falta de ruído que em algumas linhas se escuta o som de pássaros que saem dos alto-falantes do trem. Acredito que esses exemplos ilustram muito bem o que o respeito significa no Japão. Cada vez que tenho a oportunidade, eu gosto de compartilhar com meus alunos como esse valor do chá se mostra representado de uma forma muito viva no país do sol nascente.

Para o amante de chá verde em particular o Japão é como se fosse uma viagem à Disney. Essa infusão está presente em todo o tempo, em todos os lados. O chá verde em pó matcha, utilizado na tradicional cerimônia do chá de Japão (Chanoyu), é parte cotidiana de muitas receitas de gastronomia: se consome macarrão de matcha, chocolates com matcha, bolinhos de matcha, tortas, sopas e todo tipo de alimentos doces e salgados.

Também nas ruas é possível encontrar máquinas automáticas de bebidas frias e quentes onde o matcha é o grande protagonista. Cadeias internacionais como Starbucks adaptaram alguns produtos ao gosto local oferecendo shakes e lattes de chá verde. Inclusive os hotéis oferecem no café-da-manhã a opção de café ou matcha latte. Uma loucura de sabor para nós que sucumbimos diante da Camellia sinensis.

Voltando aos chás em ervas, quando eu estive no Japão tive a oportunidade não somente de falar com muitas pessoas, mas também de participar na primeira colheita de chá do ano, um privilégio para um amante do chá.

SHINCHA:  a primeira colheita do chá japonês

Campos de té en Japón

Shincha é o nome japonês para a primeira colheita do chá do ano, que geralmente é realizada no começo do mês de abril. O shincha em sua maioria é consumido dentro do Japão, uma vez que é muito apreciado pela população local e é bastante caro, assim que é muito raro encontrá-lo no Ocidente.

Depois de passar alguns dias frios em diferentes cidades e povoados de zonas rurais durante mais de duas semanas no mês de abril, ao chegar às plantações de chá do sul de Kyoto fui abençoada com um clima mais ameno e dias ensolarados. Isso gerou a oportunidade para muitos produtores de chá de colher e elaborar o primeiro chá do ano.

Ainda que o Japão seja um país pequeno em termos de território, seu povo obtém o máximo de cada porção de terra, usa diferentes processos que contribuem, junto com um clima adequado, composição do solo e a mão-de-obra, para a produção de chás muito diferentes e maravilhosos. Mas não se trata somente de recursos, trata-se do amor que possuem pelo chá. Minha busca do chá me permitiu conhecer gente muito valiosa, profissionais e artesãos que dedicam suas vidas à agricultura e à sua paixão pelo chá.

Foi exatamente isso que compreendi quando, com a brisa fresca da manhã acariciando minha face enquanto percorria os “campos celestiais” no cume de uma montanha em Wazuka, ao sul de Kyoto, juntamente com Matsumoto, vice-presidente da Obubu Tea Plantations, perguntei a ele: “o que o chá significa para você”? Ele me respondeu: “Nós acreditamos que o chá tem um papel em conectar as pessoas. Em 2011 houve um grande terremoto e tsunami no Japão.

Logo depois do terremoto as pessoas sobreviviam bebendo água. Imediatamente nossa companhia passou a oferecer chá às pessoas que ainda estavam lutando na zona do desastre. As pessoas, enquanto tomavam o chá, nos diziam que a água acalmava a sede, mas o chá aliviava a dor…. Para nós o chá é algo que nos conecta às pessoas”.

Primeira parada: Uji

Em Uji, umas das regiões produtoras de chá mais conhecidas do Japão, me reuni com a senhorita Hitomi Hayamizu de Itohkyuemon, quem me fez provar seu shincha, o primeiro chá verde de alto grau do ano, colhido e elaborado somente alguns poucos dias antes da minha chegada aos arredores de Uji.

Preparado em uma chaleira Kyusu tradicional, esse chá tinha um sabor dos deuses, com notas  frescas a flores no ataque, notas a vegetais crus, pasto, algas e limão no meio e um gosto final de umami delicioso. Era um chá leve, fresco e muito aromático.

Segunda parada: Wazuka

Em Wazuka eu visitei meu amigo Matsumoto-san que mencionei acima, um encantador produtor de chá. Quando estava ali, Matsu fez com suas próprias mãos um chá verde delicioso “Kama-iri” com a primeira colheita do ano. Esse chá é elaborado de uma forma diferente do tradicional chá verde japonês: não se aplica vapor (na etapa de fixação no processo de elaboração) mas sim um processo de calor seco fazendo uso do wok, o que faz com esse chá tenha um sabor muito mais suave e doce que os chás verdes fixados no vapor. Tem notas sutis a nozes e arroz tostado.

Terceira parada: Kyotanabe

La ruta del Té: Viaje a Japón

Em Kyotanabe tive a honra de conhecer o senhor Yamashita Toshikazu, o mestre de chás que elabora o chá para o imperador do Japão. O senhor Yamashita preparou seu Gyokuro (primeira colheita do ano) em um famoso bule Houhin e me ofereceu um pequeno copo desse ouro verde elaborado e preparado com suas próprias mãos. A sensação de experimentar o primeiro chá da temporada das mãos desse mestre de chás tão prestigiado, junto com a perfeição dessa infusão, fez com que esse momento fosse verdadeiramente inesquecível.

Com um intenso gosto a umami, redondo na boca e com um grande corpo, esse chá tinha notas a espinafre fervido, azeitonas verdes e algas. Com uma textura aveludada, era um chá largo e intenso, que quase se podia mastigar!

Como sempre digo, descobrir a origem de cada chá representa uma viagem emocionante ao coração da milenar cultura do chá.

O que é o chá: tudo sobre a Camellia sinensis

hojas de té

Neste artigo contamos o que é o chá, de onde vem, quantos tipos de chá existem e outros dados interessantes sobre esta bebida tão popular proveniente da Camellia sinensis.

O que é a Camellia sinensis

A Camellia sinensis é a planta que dá origem ao chá. Todos conhecemos a bebida que é protagonista de muitos cafés da manhã e lanches no mundo, mas realmente sabemos o que é o chá?

Hoja de camellia sinensis

O chá é a infusão de uma planta nativa da China chamada Camellia sinensis. São conhecidas três subespécies autóctones de diferentes regiões.

China: Camellia sinensis sinensis
Índia: Camellia sinensis assamica
Camboja: Camellia lasio calyx

Das três variedades existentes, a Camellia sinensis e a assamica são as mais utilizadas em todo o mundo para elaborar o chá.

Também os derivados do cruzamento heterogêneo (cruzamento natural) dessas sub-espécies dão origem aos varietais e aos cultivares.

Tipos de chá

Tudo o que denominamos “chá” é elaborado com as folhas e os brotos de diferentes varietais da mesma planta: a Camellia sinensis. Dessa planta são obtidas todas as variedades, que se agrupam em 6 famílias:

  • Chá branco
  • Chá verde
  • Chá amarelo
  • Chá oolong
  • Chá preto
  • Chá fermentado ou dark tea
tipos de té - camellia sinensis

A profissão que estuda o chá, seu serviço e harmonização, é a do Sommelier de Chá, é uma profissão muito jovem e com crescente demanda no mercado, devido ao aumento do interesse em Camellia sinensis no mundo. O chá tem maravilhosas propriedades que o tornam muito interessante quando se pretende escolher uma bebida saudável.

Qual é a diferença entre um chá e uma infusão?

Essa é uma pergunta que me fazem constantemente. Existe uma grande confusão sobre o que é o chá e o que deveríamos chamar infusão.

O chá é uma infusão, mas nem todas as infusões são chá. Chamamos de chá unicamente a infusão da planta Camellia sinensis que tem sua origem na China.

A infusão de outras plantas, como hortelã ou rooibos, não deve ser chamada de chá, mas de tisanas ou infusões de ervas em geral.

Chás de origem e blends

Que diferença existe entre os chamados “chás puros” e os blends de chá?

Como acontece com o vinho, no mundo do chá, existem duas grandes categorias, dependendo de sua composição e desenho: os chás de origem e os blends.

Os chás de origem são aqueles que provêm de uma determinada região ou área e não têm nenhum agregado. Nós os conhecemos pelo nome da região onde são produzidos (como o Yunnan) ou pelo nome de fantasia (como Lung Ching, que significa “poço do dragão”).

Os blends são misturas de diferentes tipos de chá ou misturas de chá com frutas, especiarias, essências e flores, cuidadosamente selecionadas e combinadas para dar uma bebida com aroma, sabor e corpo especiais para cada pessoa, a cada momento, com um encanto particular.

BLENDS DE TE CAMELIA SINENSIS

Desde tempos imemoriais e com vários objetivos, seja na alimentação, na fabricação de materiais ou no campo das ideias, o homem tem misturado elementos diferentes, para a partir deles gerar outros novos”

Apesar da antiguidade da atividade de misturar, e ao contrário de outras áreas, no mercado de chá, o blending foi mantido extremamente oculto e, ainda hoje, existem poucas pessoas no mundo que decidiram ensinar com honestidade e profissionalismo seus conhecimentos adquiridos.

Alguns exemplos de misturas são:

Earl Grey: chá preto com extrato de bergamota
English Breakfast: uma mistura de chás pretos de Assam, Ceilão, Quênia e, às vezes, inclui Keemun.
Russian Caravan: uma mistura de Keemun e Lapsang Souchong.
Rainha Victoria: um blend composto por mim, de chá preto, extrato natural de verbena e pétalas de rosas.

Como preparar o chá?

Como eu comentei antes, existem centenas de infusões de diferentes plantas, cada uma com sua forma especial de preparação.

Quando falamos em chá, sempre nos referimos à infusão da Camellia sinensis (a planta do chá).

Como se prepara corretamente? Existem muitas formas e estilos de preparo do chá. Na China, costuma-se utilizar água muito quente e realiza-se infusões muito curtas (de apenas alguns segundos). No Japão, preparam o chá verde com água mais fria que o habitual, enquanto no Marrocos usam água fervendo e transpassam o chá do bule ao copo várias vezes, adicionando açúcar para diminuir o amargor.

No Ocidente, dedicamos vários minutos para realizar a infusão, em proporções de chá e água mais diluídas do que na China. Cada tipo de chá é preparado de uma forma diferente. De acordo com a família ou variedade, usaremos água mais quente ou mais morna.

Vou indicar abaixo as regras que sugiro para o preparo dos diferentes tipos de chá no mundo ocidental:

Muitas vezes, me perguntam se estaria tudo bem adicionar leite, açúcar ou limão ao chá, e minha resposta é sempre a mesma: se vamos realizar uma “cata técnica” não devemos adicionar absolutamente nada, uma vez que qualquer coisa que adicionemos modificará nossa percepção sensorial do chá. Mas quando se trata simplesmente de aproveitar, vale que você adicione ao chá aquilo que você mais gosta.

A xícara de chá perfeita

Passos para preparar um bom chá

  1. Escolha um chá especial para a ocasião. Cada momento, cada circunstância, tem seu chá especial.
  2. Prepare previamente todos os utensílios necessários: bule, xícaras, infusor, ampulheta, termômetro, colher de chá para medir a quantidade de folhas, água na temperatura certa para o tipo de chá selecionado e seu chá.
  3. Meça a quantidade de chá necessária. Para preparar o chá em folhas inteiras, você deve usar uma colher de chá para cada xícara que você prepare.
  4. Controle a temperatura da água antes de preparar o chá. Se a mesma não é a correta para esse tipo de chá, aguarde até a temperatura chegue ao seu nível adequado.
  5. Coloque o infusor (com as folhas dentro) no bule e despeje a água quente.
  6. Comece a medir o tempo. Deixe infusionar pelo tempo indicado para esse chá. Recomendo que você utilize uma ampulheta para medir o tempo de infusão.
  7. Cumprido o tempo, retire o infusor do bule e tampe-o. Se colocou as ervas soltas no bule é recomendável que despeje o licor em outro recipiente para que não supere o tempo indicado de infusão.
  8. Sirva o chá na xícara e aproveite!

Se você quer aprender mais sobre isso convido você a se juntar à nós no Curso de Introdução ao Chá, em que irá aprender a preparar corretamente o chá e muiiiiiiito mais!!!

Variedades de Camellia sinensis

O chá é elaborado a partir das folhas e brotos da Camellia sinensis que crescem nas plantações em distintas partes do mundo.

Cada plantação ou cada região produtora tem características únicas que formam o terroir ou terrunho do chá.

Cresce em regiões de clima tropical e subtropical (quente e úmido), mas também se adapta a outras condições climáticas com invernos rigorosos. Historicamente, a planta de chá era cultivada no Oriente, principalmente na China e no Japão. Depois foram sendo incorporados outros países em sua produção, como a India e o Sri Lanka.

campos de Camellia sinensis en Fujian China con Victoria Bisogno

As plantações ou campos de chá são grandes extensões de um cor verde esmeralda muito bonito. No entanto, como vimos anteriormente no vídeo, a cor das folhas de Camellia sinensis pode variar de acordo com sua genética.

A planta de Camellia sinensis dá frutos que contém as sementes que dão origem às novas plantas.

Semilla de té - camellia sinensis

Árvores de Camellia sinensis

A planta de chá é perene e pode chegar a se transformar em árvore, mas costuma ser mantida em forma de arbusto para facilitar a colheita de suas folhas e brotos.

No sul da China, em particular nas províncias de Yunnan e Guangdong, a Camellia sinensis cresce de forma selvagem (é uma espécie nativa) sem intervenção humana.

Assim é que se formaram florestas de árvores de chá de centenas de anos. Acredita-se que muitas árvores tem mais de 2000 anos de idade.

Video: Floresta de árvores de chá em Yunnan, China

A história da Camellia sinensis

Existem muitos mitos e lendas em torno ao descobrimento do chá. No entanto, sabemos que o chá tem origem na China, onde é conhecido e apreciado desde milhares de anos atrás.

Reza a lenda que a Camellia sinensis (a planta do chá) foi descoberta por acaso por um dos imperadores mais famosos e místicos da China antiga: Shen-Nung.

Essa história conta que Shen-Nung saiu para passear pelo jardim de seu palácio e quando se sentiu cansado sentou-se embaixo de uma árvore.

Quando lhe ofereceram uma tigela com água quente para saciar sua sede, o vento fez com que algumas folhas da árvore caíssem dentro da tigela do imperador.

Sem se importar com isso, Shen-Nung provou a bebida, o que fez com que se sentisse refrescado e com o corpo relaxado, uma vez que sua mente parecia ter esquecido de todos os seus problemas.

Assim foi como, acredita-se, Shen-Nung teria descoberto o encanto dessa bebida. A partir desse momento , fez com que preparassem um infusão das folhas dessa árvores (a de chá) para ele.

Video: a história do chá

Consumo do chá

O chá é a primeira bebida consumida no mundo depois da água. Isso significa que o que mais se bebe no mundo é água e depois, chá.

O chá é uma infusão, portanto contém água. Para preparar um chá, as folhas da Camellia sinensis são colocadas durante um tempo determinado na água quente para que se produza a infusão, e depois são retiradas da água. Durante esse tempo de infusão, os compostos solúveis das folhas de chá passam para a água, de forma que obtemos a infusão que chamamos de chá.

No gráfico seguinte, mostro a distribuição de consumo de chá no mundo. As cifras estão expressas em libras.

Tanto a produção quanto o consumo de chá vêm crescendo de forma sustentável há mais de uma década.

producción mundial de té - camellia sinensis

A empresa Persistente Market Reasearch (PMR) publicou uma previsão de crescimento anual de 5% do consumo global de chá até 2024.

O TechSci Research sustenta que haverá um aumento de 15% anual de consumo global de chá orgânico nos próximos 5 anos. Na verdade, nos últimos 02 anos o aumento não foi tão drástico, mas sim bem consistente.

Com a pandemia do Coronavírus diversos estudos do mercado demonstraram que o consumo de chá ainda segue crescendo em 2020, graças às propriedades do chá benéficas para a saúde.

Além disso, o consumo de chá vem aumentando de forma consistente em todo o mundo porque:

  • O movimento gourmet é uma tendência que abre novos nichos de mercado como para o chá em folhas inteiras de alta qualidade e os blends (saborizados) para iniciar novos negócios de chá.
  • Aumento do consumo consciente: os consumidores observam cada vez mais os rótulos dos produtos, as pessoas se importam com a origem do que consomem, se estão livres de pesticidas, se são socialmente responsáveis ou se são responsáveis com o meio ambiente. O chá de qualidade pode oferecer todas essas características.
  • É uma bebida saudável e não calórica. Tem propriedades comprovadas para a saúde.
  • Preferida pelas pessoas jovens.
  • Possui uma grande herança cultura oriental (por meio das cerimônias chinesa, japonesa, coreada, etc), e a inglesa (o “five o’clock tea”)
  • Oferece elegância e glamour

E você? Porque gosta de chá? Convido a compartilhar sua opinião em nossas redes sociais!

Victoria Bisogno

#aculturadocha

A rota do Chá: Viagem a Ìndia – Assam

Viaja a la India

Venha conhecer Assam, a província da Índia que é a meca do chá e das especiarias.

Assam é a grande referência do chá na Índia. Em 1823, quando este país era colônia britânica, o intendente Robert Bruce, responsável pela guarnição de Assam, bebeu uma infusão que haviam preparado para ele com algumas folhas de um arbusto local. Robert provou a bebida e encontrou algo tão parecido com o chá que se bebia na Inglaterra (até aquele momento proveniente da China) que então enviou algumas folhas desse arbusto para serem estudadas em Calcutá. Ali descobriram que se tratava de uma variedade local da planta de chá: Camellia sinensis assamica.

Hoja de té

Foi assim que a Companhia Britânica das Índias Orientais estabeleceu plantações em Assam, trouxe produtores de chá chineses para lhes ensinar como cultivar e elaborar tanto o chá preto como o verde e, juntos descobriram que podiam fazer um chá preto tão bom quanto o que se trazia da China, segundo os comerciantes ingleses.

A partir desse momento se desenvolveu a indústria de chá na Índia, pelas mãos dos ingleses, e a Camellia sinensis assamica passou a ser utilizada para elaborar chá em outras regiões produtoras do mundo. O primeiro carregamento de chá preto produzido na Índia e comercializado na Europa foi elaborado em Assam pelos ingleses.

Foi embarcado até Inglaterra em 1838 e vendido no leilão de chá de Londres em janeiro de 1839. Por toda essa história, eu não podia deixar de conhecer Assam. Uma vez que cheguei ao aeroporto de Assam no avião “Cardamom” da companhia “Spicejet” (avião de especiarias), um simpático motorista da empresa me recepcionou e me conduziu até a fábrica de chás.

Esse caminho foi muito mais tranquilo que o de Darjeeling, dada a serena geografia do terreno. Na rota, atravessada por vacas sagradas, macacos e elefantes, começaram a aparecer árvores de bananas e arbustos cheios de flores. Isso porque Assam se localiza no Vale do Rio Brahmaputra onde se encontram microclimas que variam entre o tropical úmido ao subtropical de floresta. A palavra Assam deriva do vocábulo sânscrito “Asom” que significa “sem igual” ou “sem paralelo”, nome dado pela beleza deste estado da Índia do Norte.

cardamomo té

Depois de visitar as montanhas cultivadas com chá em Darjeeling, os campos de Assam pareciam um mar verde, plano, com um horizonte distante. As plantações se estendiam por enormes superfícies cultivadas com a Camellia sinensis assamica, variedade de folhas grandes de uma cor verde luminosa, sob a sombra protetora das árvores.

O aroma refrescante das folhas verdes, característico dos campos de chá, me deleitava os sentidos enquanto imaginava o delicioso licor que produziriam essa folhas, quando fossem processadas. De longe, as colheitadeiras, cantando canções tradicionais, muito timidamente se aproximavam para ver os estrangeiros que visitavam os campos de chá.

Assam produz em grande parte chá preto elaborado pelo método CTC destinado aos saquinhos de chá, e também produz chá em folhas soltas com o método tradicional. O chá de Assam é muito conhecido em todo mundo porque é a base da mistura Masala Chai, um dos blends de chá mais famosos do mundo.

Idian Chai en Assam

Trata-se de uma mistura de chá preto com especiarias. Cada tea blender tem sua receita própria, mas a maioria inclui cardamomo, gengibre, canela e cravo, alguns incluem pimenta negra e anis. Essas especiarias podem ser compradas em todas as cidades da Índia e são de uma fragrância deliciosa. Eu as comprei em Calcutá a caminho do Tea Board of Índia, em um dos grandes mercados de especiarias nos quais se pode compra-las em grandes quantidades por preços muito bons.

Visitar os mercados de especiarias é por si uma aventura de barulhos, gente, cheiros e cores, mas eu contarei mais sobre isso quando falarmos sobre o Marrocos.

taza de té de la india

O Masala chai é preparado infusionando o chá preto de Assam com as especiarias em uma mistura de água com leite. São bebidos na rua, no trabalho, nos mercados em todos os lados. O aroma característico dessa deliciosa mistura pode ser sentido à distância.

É como estar no deserto e ver uma fonte de água. As pessoas passam apressadas e se detém por alguns minutos para recuperar a energia em uma barraca de chá. Nestes bares improvisados são vendidas porções de chá quente em pequenas tigelas de argila secadas ao sol chamadas Kullar. O Kullar é utilizado uma única vez e depois é jogado no chão, para, segundo dizem, voltar a ser parte da terra que lhe deu origem.

Em Assam, além das tradicionais fábricas de chá preto, você pode visitar e participar do processo de elaboração de uma fábrica de chá verde. Estabelecida no ano de 2006, esta fábrica se dedica totalmente à elaboração do chá verde de Assam para satisfazer a demanda de distribuidores alemães.

La Ruta del Té: Viaje a la India - Assam

Deixo aqui para vocês um vídeo (caseiro) que fiz com essa recordação.

Depois da tradicional boas-vindas na primeira fábrica de chá, comecei com visitas às plantações e muitas conversas entre bules de chá. Conheci pessoas encantadoras: chefes de fábrica, analistas sensoriais de chá, representante dos leilões e donos de plantações com muitos anos na indústria de chá, todos movidos pela mesma paixão. Ficou gravado em minha memória o orgulho com que essas pessoas falavam do produto de seu trabalho.

Mas minha recordação mais linda desses encontros foi o jantar no meu primeiro dia em Assam. Os donos da casa nos deram as boas-vindas e nos fizeram provar os doces mais maravilhosos feitos com ervas e especiarias locais. Foi uma oportunidade única para conhecer pessoas encantadoras que amam seu trabalho com o chá e descobrir mais detalhes sobre sua cultura. Passado o jantar, quando todos os membros da família e eu compartilhamos um chá com música, cantos e dança, descobri que entre todos os rituais e costumes da Índia, existe um muito bonito que me embeleza e me fascina: a mágica tradição do chá.

Vídeo: Chá na Índia

A rota do Chá – Viagem à Ìndia – Darjeeling

La Ruta del Té: Viaje a la India

Convidamos você a descobrir Darjeeling e seu chá saborosíssimo, conhecido como o champagne do chá.

Viaje a la India

Índía e seu champagne do chá.

Quando pensamos em chá, muitas vezes vem à nossa cabeça imagens da Índia. A República da Índia, localizada no sul da Ásia, é um dos maiores produtores de chá em nível mundial e um país com uma calorosa cultura. Seus costumes gastronômicos exóticos e seus milenares templos fazem dessa região um imã para os aficionados por chá, viagens e novas descobertas. Logo depois de conhecer a China, o seguinte destino de chá em minha lista foi a Índia.

A Índia é o sétimo país mais extenso do mundo e o segundo mais povoado, e isso se percebe claramente nas ruas. Em todos os lugares em que fui sempre vi pessoas, inclusive nas zonas rurais. Esta característica faz deste país um lugar vibrante, onde as buzinas dos automóveis e dos rickshaws (pequenos transportes de três rodas, também conhecidos como tuk-tuk) se misturem com o som das flautas dos encantadores de serpentes, com os vendedores ambulantes oferecendo suas especiarias e com os chocalhos das dançarinas que movem seus corpos como se fossem cobras encantadas.

Além disso, quatro das religiões mais importantes do mundo se originaram na Índia (o hinduísmo, o budismo, o jainismo e o siquismo) e por isso, ao percorrer as cidades me senti em meio a um desfile de brahmanas, monges budistas, mulheres muçulmanas vestidas completamente de preto, gurus, sacerdotes jainas e sacerdotisas. Os homens laicos se vestem com calça e camisa, mas as mulheres brilham em lindos saris de cores vivas que adornam os corredores e avenidas como flores em um jardim.

As principais zonas produtoras da Índia são:

  • Bengala Ocidental: ao nordeste do país (Darjeeling, Dooars e Terai)
  • Assam: ao nordeste do país (Cachar e Vale do Assam)
  • Sul do país: (Karnataka, Kerala e Tamil Nadu)
Taj Mahal India

No norte da Índia, também existem regiões produtoras menores como Tripura, Uttarakhand, Bihar, Manipur, Sikkim, Arunachal Pradesh, Himachal Pradesh, Nagaland Meghalaya, Mizoram e Orissa, com uma produção inferior às regiões anteriormente mencionadas.

Lembremos que a produção do chá indiano começou em 1834 em Assam, pelas mãos dos ingleses (colonizadores desse território nessa época) e se estendeu a Darjeeling e a Nilgiri Hills nos anos 1850. São produzidos chás pretos CTC e ortodoxo e agora alguns produtores também elaboram chá verde, oolong e branco.

Como as zonas mais famosas de produção de chá são as de Assam e Darjeeling, foi para lá mesmo é que fui. Depois de alguns dias em Kolcata (Calcutá), capital do estado indiano da Bengala Ocidental, voei primeiro a Darjeeling e logo em seguida à zona produtora de chá em Assam. Mas agora quero focar nesse primeiro destino.

Fui recebida pelo gerente da companhia da forma mais tradicional: me presentearam com um lindo xale de seda e me ofereceram seu melhor chá. Um grande deleite com uma poção embriagante para acalmar meu espírito agitado pelo trajeto. Depois de uma conversa amena, percorremos as plantações e programamos as atividades dos seguintes dias que incluíam entrevistas com chefes de produção, colheita de chá manual e elaboração do chá muito cedo (ás quatro da manhã).

Victoria Bisogno Té en Darjeeling

Os dias transcorreram entre caminhadas e comidas tradicionais perfumadas com deliciosas especiarias, colheita manual de chá e visita a diferentes campos. Foram dias memoráveis. Os sorrisos e os cantos das colheitadeiras de chá coletando os brotos ternos da primavera, as flores ao redor das plantações, o simpático trem que nos levava ao povoado…

Mas se existe alguma coisa da qual nunca me esquecerei  foi o café-da-manhã posterior ao dia em que fiz meu primeiro Darjeeling first flush (primeira colheita do ano)  feito à mão por mim mesma! Beber o chá recém elaborado em pleno silêncio, coroado pela vista dos campos de chá com a neblina da manhã…. há alguma coisa mais a se pedir na vida?

#ACulturaDoChá

Open chat
1
¿Necesitas ayuda?
Hola, Mi nombre es Florencia. ¿En que te puedo ayudar?